LocalPrimeira Vista

Esquadra da PSP vai para o edifício dos antigos SMAS

O executivo camarário aprovou, na reunião desta quinta-feira, o protocolo de colaboração para as necessárias obras de beneficiação e construção da nova esquadra da PSP de Ovar.

O documento, que foi aprovado por unanimidade, visa a celebração de um acordo de cedência do edifício dos antigos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS), na rua Gomes Freire para instalação da esquadra. O Governo vai avançar, como é habitual neste tipo de contratos, com o financiamento das obras de adaptação no âmbito de um projecto a elaborar pela autarquia.

As más condições da actual esquadra da PSP de Ovar eram do conhecimento da direcção nacional da PSP, cujo estado os responsáveis puderam constatar quer por ocasião da comemoração dos 50 anos da esquadra vareira, quer mais recentemente durante a cerca sanitária devido ao Covid-19.

A superintendente Virgínia Cruz, responsável pelo comando distrital, disse que estão já em andamento os procedimentos burocráticos para concretizar o recente acordo entre a PSP e a Câmara de Ovar, que disponibilizou para novo quartel o antigo edifício dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento.

Recordando que a esquadra de Ovar foi inaugurada a 15 de fevereiro de 1970 e estava então preparada para acomodar apenas 37 pessoas, a comandante da PSP distrital observou: “Hoje temos 58 agentes efectivos e o espaço não aumentou”.

Virgínia Cruz notou ainda que, mesmo há 50 anos, o edifício ocupado pela PSP não satisfazia as necessidades específicas de uma força policial, uma vez que o imóvel não fora construído de raiz para esse efeito e tinha resultado apenas de uma adaptação, sendo que, nas décadas seguintes, foi sofrendo “algumas intervenções pontuais, mas não estruturais”.

É nessa perspectiva que a comandante garante agora: “Actualmente, o edifício não está adaptado às necessidades policiais e não consegue criar condições adequadas de trabalho e conforto nem para os profissionais, nem para a população que serve e que ali se desloca”.

Se a autarquia ovarense “já manifestou quer institucional, quer publicamente a vontade de ceder” à PSP a antiga sede dos serviços de águas, é porque essa força de segurança também já aprovou a escolha.

“No que à PSP compete avaliar, a localização é bastante melhor. Tem melhores acessibilidades quer para os profissionais, quer para o cidadão que se desloca à esquadra. Permitirá alojar com condições de dignidade todo o efectivo e terá valências policiais que caracterizam uma esquadra complexa, como as de trânsito, investigação, intervenção rápida, fiscalização e patrulha”, afirmou Virgínia Cruz.

O executivo social-democrata informa, por sua vez, que, mediante um “contrato interadministrativo a celebrar entre a edilidade, o Ministério da Administração Interna e a PSP“, a autarquia está preparada para também assegurar “a elaboração do projecto de construção” do novo quartel. Tal como o PS, confia que o investimento na empreitada “será posteriormente reembolsado pelo Ministério da Administração Interna”.

Previsões relativas ao calendário da obra ainda não há, mas Virgínia Cruz referiu que “todas as entidades estão empenhadas para que se concretize no mais curto espaço de tempo possível”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo