Opinião

Evoluir sem perder a essência, é gerar economia – Por Tiago Matos Vital

“Não há mudança sem obstáculos, não há mudança sem oposição, e se assim não fosse, não faria sentido
usar a palavra”.

As mudanças são inevitáveis, mas muitas vezes são vistas com receio.

“Velhos do Restelo” é um termo,
originário de um personagem da obra “Os Lusíadas” de Luís Vaz de Camões, que é utilizado para descrever aqueles que resistem às mudanças e preferem manter as tradições antigas.

No entanto, é importante lembrar
que a evolução e a mudança são necessárias para o progresso e o desenvolvimento, e que séculos depois, estes movimentos já acontecem em formatos que potenciam o tradicional – é esse o tesouro que temos em mãos!

No contexto do mercado de eventos, as mudanças são frequentes e necessárias para acompanhar as
tendências e as necessidades do público. Novas tecnologias, formatos de eventos, estratégias de marketing
e segurança são apenas algumas das áreas que estão em constante evolução.

Os profissionais que atuam no setor precisam estar sempre atualizados e dispostos a experimentar novas abordagens e ideias.

No entanto, muitas vezes os organizadores locais de eventos tradicionais podem resistir a mudanças, temendo que isso possa afetar a autenticidade e a essência do evento. É importante destacar que a
introdução de mudanças não precisa necessariamente alterar a essência do evento, mas sim torná-lo mais atraente, seguro e sustentável.

A combinação do conhecimento e da experiência dos organizadores locais
com a expertise de profissionais capacitados pode levar a resultados incríveis.

A abertura dos eventos tradicionais ao profissionalismo é um processo importante para aprimorar a qualidade
e eficiência. As mudanças são necessárias para o progresso e o desenvolvimento; a resistência a elas pode limitar as oportunidades de crescimento e inovação, no limite forçar o desaparecimento.

Eventos tradicionais como festas religiosas, festivais culturais e outras celebrações regionais costumam ter
uma longa história e muitas vezes são organizados por grupos locais, com forte participação da comunidade.

No entanto, muitos desses eventos enfrentam desafios em relação à organização, logística, segurança,
marketing e outras áreas que exigem habilidades e conhecimentos especializados. A introdução de
profissionais qualificados na organização desses eventos existe para melhorar a qualidade e eficiência,
garantindo o sucesso e o impacto positivo na comunidade.

É importante sublinhar que estas mudanças devem ser introduzidas de forma a preservar a autenticidade e a essência dos eventos locais, e que essas mudanças, fabricadas e implementadas em conjunto com os players locais, trazem benefícios significativos para as comunidades da região; o aumento significativo de visitas e o crescimento do turismo, impulsionam, como consequência, a economia e o comercio locais, contribuindo assim para o desenvolvimento da cidade e regiões e aumentando a qualidade de vida das suas populações.

 

© Tiago Matos Vital – Professor, Diretor da Pós Graduação Organização e Gestão de Eventos, na Católica Porto Business School

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo