DesportoFutebolPrimeira Vista
Em Destaque

Ex-dirigentes da Ovarense condenados por assédio no futebol feminino do Ovarense

O Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol condenou os antigos dirigentes da Ovarense, Luís Carlos Godinho e Bruno Azevedo com suspensões de nove e doze meses, respectivamente. Em causa comportamento discriminatório e a acomodação das jogadoras do Ovarense “em condições degradantes”.

Segundo o acórdão, a Ovarense terá ainda de pagar uma multa de 7650 euros e de realizar dois jogos sem público nas bancadas.

O caso remonta à época 2020/2021 quando esta em funções a anteroor direcção e tem como base a denúncia de uma jogadora que afirma ter sido alvo de assédio sexual e tentativas de agressão.

No acórdão pode ler-se ainda que o clube permitia a realização de convívios em que “as jogadoras do género feminino eram expressamente excluídas”.

Carlos Santos é acusado de proferir ofensas a uma equipa de arbitragem composta por elementos do sexo feminino.

“Sois umas pu***, vão apitar para o ca*****”, disse o diretor-desportivo, durante um jogo da distrital de Aveiro, na época 21/22. Foi condenado a uma suspensão de três meses e multa de 1.200 euros.

A Ovarense confirmou a notificação da condenação, garantindo que a actual direcção repudia veementemente todo e qualquer tratamento discriminatório.

O clube garante que vai continuar a apoiar o futebol feminino, nomeadamente com o regresso dos jogos da equipa sénior ao Estádio Marques da Silva que ainda não aconteceu por falta de acordo do seu actual proprietário.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo