Local

Ex-presidente da Cercivar diz que não desviou dinheiros da instituição para fins particulares (NA)

O ex-presidente da Cercivar, negou a apropriação de verbas da instituição para fins pessoais no início do julgamento no tribunal de Aveiro.

Joaquim Barbosa, professor de educação física reformado, e ex-autarca, afastou qualquer ilicitude entre o pagamento de uma obra nas instalações a um empreiteiro e o empréstimo que este lhe fez de 12.500 euros.

O ex-responsável da Cerci, que está acusado de peculato, por alegada apropriação de 32.500 euros da instituição, confirmou que recebeu do empreiteiro o cheque daquele valor e depois pediu a uma imobiliária que o desdobrasse em quatro outros. Terá devolvido 20 mil euros e depositou o restante nas suas contas pessoais. “Depositei em mais do que um banco, Ovar é um meio pequeno, um cheque da Cercivar dava nas vistas”, assumiu perante o coletivo.

Os 12.500 foram pagos “em dinheiro” ao empreiteiro “à medida que teve disponibilidade, durante dois anos”, disse já quando questionado pela Procuradora.  (Ler artigo in Notícias de Aveiro)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo