LocalSlider

Anúncio do fecho de escolas surpreende autarquia

O presidente da Câmara de Ovar, Salvador Malheiro, mostrou-se hoje “surpreendido” com o anúncio de fecho de duas escolas do 1.º ciclo no concelho, feito pelo Ministério da Educação, embora reconheça que se trata de “um ato de gestão”.

“Ficámos algo surpreendidos, mas compreendemos que é um ato de gestão”, disse o autarca à agência Lusa, sublinhando que a surpresa advém do encerramento da escola de Válega, que “tem mais de 100 alunos”.

Salvador Malheiro acrescentou compreender a situação, uma vez que “houve um grande investimento no Centro Escolar da Regedoura, que é um grande equipamento na mesma freguesia, novo, com todas as condições, que pode acolher todos os alunos de Válega e ainda tem capacidade para mais”.

O presidente da Câmara disse não esperar que a medida seja contestada pela comunidade local, mas revelou que estão já a ser programadas reuniões com o Agrupamento de Escolas e com as respetivas associações de pais, “para tranquilizar toda a gente e garantir que tudo volta rapidamente à normalidade”.

Situação que também não espera que suscite problemas, é a relativa ao encerramento da EB1 de Torrão de Lameiro, “por ter um número muito reduzido de alunos”.

As crianças que frequentavam esse estabelecimento de ensino passam agora para o Centro Escolar dos Combatentes, a cerca de três quilómetros, e a autarquia garantirá o transporte, assim como a melhoria da rede viária atual.

O Ministério da Educação e Ciência anunciou no sábado que vai fechar 311 escolas do 1.º ciclo do Ensino Básico e integrá-las em centros escolares ou outros estabelecimentos de ensino, no âmbito do processo de reorganização da rede escolar.

“O novo ano letivo terá início em infraestruturas com recursos que oferecem melhores condições para o sucesso escolar. [Os alunos] estarão integrados em turmas compostas por colegas da mesma idade, terão acesso a recursos mais variados, como bibliotecas e recintos apropriados a atividades físicas e participação em ofertas de escola mais diversificadas”, referiu a tutela em comunicado.

Segundo a nota, a Secretaria de Estado do Ensino e Administração Escolar concluiu na sexta-feira mais uma fase da reorganização da rede escolar, “processo iniciado há cerca de 10 anos e continuado por este Governo desde o ano letivo de 2011/2012, com bom senso e um olhar particular relativamente às características de contexto”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta