CulturaSlider

“Festa” são 19 horas consecutivas de propostas culturais gratuitas num só dia

Praças, largos e jardins do centro histórico de Ovar recebem a 19 de julho a primeira edição da “Festa”, com 19 horas consecutivas de artes de rua, concertos, teatro, instalações e outras propostas gratuitas para todas as idades.

O evento decorre das 09:00 desse sábado às 04:00 de domingo e, na estreia, terá protagonistas como o comediante Pedro Tochas, a Orquestra de Jazz de Matosinhos com Manuela Azevedo, a companhia espanhola Ángeles del Trapo, as bandas Kumpania Algazarra e Real Combo Lisbonense, e os muralistas Samina e Fuel.

“É uma grande aposta da Câmara Municipal de Ovar e vem na esteira de algo que foi anunciado no período pré-eleitoral”, declarou hoje em conferência de imprensa o presidente da autarquia, Salvador Malheiro.

“Queremos fazer uma aposta consolidada ao longo do tempo no que concerne à dinamização de atividades culturais e vamos ter aqui artistas de Ovar e artistas de fora, para tentar criar o melhor ambiente possível, de quase simbiose entre a cidade e as artes performativas”, acrescenta, anunciando que o evento deverá ter periodicidade anual.

O orçamento em causa por parte da Câmara é na ordem dos 40.000 euros, ao que acresce uma comparticipação indefinida por parte de outras entidades.

A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, por exemplo, suportou a encomenda do espetáculo “Nariz Preto” a Pedro Tochas, que, por essa razão, o exibirá em todos os concelhos da ria antes de o levar a outros localidades do país e do estrangeiro. O espetáculo pela Orquestra de Jazz de Matosinhos e pela vocalista dos Clã, por sua vez, foi uma encomenda partilhada entre a autarquia e a Casa da Música, do Porto.

Alexandre Rosas, vereador da Cultura, realça que a Festa também “pretende ser uma celebração de Ovar, já que o município faz agora 30 anos”, e daí a escolha de palcos no centro da cidade, em complemento a “espetáculos ambulantes e outras surpresas que serão brevemente anunciadas”.

O autarca refere ainda que a programação de estreia inclui “três grandes projetos envolvendo comunidades locais”, como acontece com “O Baile”, uma produção da coreógrafa Aldara Bizarro com cerca de 20 colaboradores do concelho.

Outro destaque do evento é o mural que a dupla Samina e Fuel (constituída pelos artistas João Samina e Diogo Machado) se propõe executar no Mercado Municipal, evocando o que a programadora cultural da autarquia, Fátima Alçada, descreve como “a cultura portuguesa do azulejo no século XXI”.

Conforme adiantou Fátima Alçada, programadora cultural do Município, haverá ainda oficinas de postais que a Câmara garante que chegarão ao seu destino, uma instalação de rochas azulejadas por Dalila Gonçalves e, entre várias outras propostas, as sete performances artísticas selecionadas pela autarquia no âmbito do concurso “Open Call”, como é o caso do concerto do coletivo de música eletrónica Owar Bass Warriors, a exposição de ilustrações em tacos de madeira por Inês Silva, ou o “bota disquismo dos DJ’s vareiros (Quar)Tetus”.

Mais detalhes sobre a programação da primeira Festa podem consultar-se nos próximos dias no site da Câmara Municipal de Ovar e no “OvarNews”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo