Cultura

Fomos ver Paula Rego no Centro de Arte Oliva

O Centro de Arte Oliva, em São João da Madeira, tem patente obras de Paula Rego, na exposição “Entre as Palavras e os Silêncios – obras da Colecção Norlinda e José Lima”, com curadoria de Luísa Soares de Oliveira.

Incluindo artistas nacionais e internacionais reconhecidos, integra também nomes de gerações mais recentes, cujas obras foram recentemente incorporadas na coleção, como Ana Vieira, Damien Hirst, Robert Combas, Lourdes Castro ou Adriana Varejão.

Patente está cerca de uma centena de pinturas, desenhos, esculturas e instalações, da autoria de 88 artistas e que abarcam um longo período: o trabalho mais antigo, datado de 1957, é uma pintura de Maria Helena Vieira da Silva (Portugal, 1908 – França, 1992) e o mais recente uma escultura de Leda Catunda (Brasil, 1961), datada de 2020. Um conjunto significativo de obras é exposto pela primeira vez no Centro de Arte Oliva, já outras serão agora revisitadas em novas relações.

“Entre as Palavras e os Silêncios” fica patente ao público até 30 de dezembro.

A pintora Paula Rego, uma das mais aclamadas e premiadas artistas portuguesas a nível internacional, morreu na manhã desta quarta-feira em Londres, aos 87 anos.

Nascida a 26 de janeiro de 1935, em Lisboa, foi galardoada, entre outros, com o Prémio Turner em 1989, e o Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso em 2013, além de ter sido distinguida com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada em 2004. Em 2010, recebeu da Rainha Isabel II a Ordem do Império Britânico com o grau de Oficial, pela sua contribuição para as artes.

Em 2019, recebeu a Medalha de Mérito Cultural do Governo de Portugal.

Foto: Paula Rego – A Árvore de Dubuffet (da série Homenagem a Dubuffet), 1985 (Coleção Norlinda e José Lima em depósito no Centro de Arte Oliva)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo