LocalSlider

“Fundação de Ovar pode ter origem húngara”

Uma nova tese sobre as origens de Ovar foi lançada por D. Duarte Pio, Duque de Bragança, durante as comemorações dos 500 anos dos Forais Manuelinos de Pereira Jusã e de Cortegaça, e relaciona-as com os inícios da portugalidade.
Segundo ele, a palavra Ovar terá origem húngara e quer dizer “pequeno castelo”. O pretendente ao trono português defendeu a existência de uma tese que diz que foi “D. Afonso Henriques quem ofereceu estas terras a cruzados húngaros que o tinham ajudado a conquistar Lisboa aos mouros”.
D. Duarte Pio apontou a existência, na Hungria, de uma povoação chamada Magyarovar que quer dizer “grande castelo”, sugerindo que “daria uma belíssima geminação com a cidade de Ovar”.

O historiador ovarense, Alberto Lamy, que esteve presente nas comemorações, que decorreram recentemente em Ovar, instado a comentar a intervenção de D. Duarta, referiu que “nunca tinha ouvido falar nessa teoria”. O advogado sabe que não há certezas quanto ao tema, pois tem reunido várias teses nas suas Monografias de Ovar. O autor, que esteve no encontro comemorativo dos forais em que apresentou uma palestra sobre “A extinção dos concelhos de Pereira Jusã e de Cortegaça”, acha a teoria “interessante mas um bocado esquisita”. Lembra que já reuniu, nas suas obras, umas 10 teorias sobre as origens de Ovar, desde as que dizem que tem proveniência italiana na Toscânia, até José Hermano saraiva que, no programa que realizou em Ovar, defendeu que os vickings atacavam por aqui e deixaram descendência, passando por quem defende a origem germânica em Odvari.

PedroL

Alberto Lamy nota que Ovar tem menções muito antigas em documentos que datam, por exemplo, do século X. No Mosteiro de Grijó, a que pertenciam estas terras, “há notas que dizem que piratas normandos vinham até á costa vareira para raptar pessoas, que só devolviam após determinados pagamentos da população”.
O Duque de Bragança, que soube desta história aquando de uma viagem que fez até à fronteira da Hungria, reforçaria ter havido mesmo um “pequeno castelo, junto à Ria”, tal como consta, actualmente, no brasão actual do Município, e que as muralhas teriam sido descobertas.
O historiador ovarense desconhece a existência dessa fortaleza, tendo apenas notícia da existência de um pequeno castelo no local onde havia uma casa antes de ter sido construído o actual Palácio da Justiça. De qualquer maneira, a entrada em cena do Duque de Bragança vem adensar o mistério e reavivar a discussão em torno das origens de Ovar. “Se ele conseguisse concretizar melhor o que disse, até poderia integrar esta teoria na próxima Monografia de Ovar”, concluiu Lamy.

A origem do nome Ovar não é consensual e, por isso mesmo, é interessante o percurso por entre as diversas teorias. Se para uns estudiosos, o nome provém do facto de muitas aves virem até aqui pôr os seus ovos, para outros isto não passa de ideia sem fundamento pois, nesse caso, não seria ovar mas desovar.

No entanto, o Dicionário da Língua Portuguesa não deixa margem para esta dúvida ao esclarecer que Ovar significa “pôr ou criar ovos ou ovas”. Desovar, por seu lado, significa também pôr ovos, mas é sobretudo usada quando falamos de peixes. Para outros linguistas, Ovar pode ter na sua origem a palavra Vale.

Se considerarmos que o povoado de Cabanões é mais antigo que o de Ovar e que era mais elevado do que este (o que acontece ainda hoje), então poderemos equacionar esta hipótese. “Quando os habitantes de Cabanões se deslocavam ao vale, ao litoral, diriam: vou ao var (estive no var, venho do var), sendo a palavra var uma corrupção da pronúncia de vale ou val”, escreve Alberto Lamy, na sua Monografia de Ovar.

Mas há mais, muito mais. Ulvar é outra hipótese que significa apanhar umas plantas aquáticas com o nome de ulvas, que por aqui existiam; ou talvez possa derivar da palavra siríaca Bar, que quer dizer filho (de Cabanões, por hipótese); ou ainda do sânscrito Vari, que significa água ou região de águas.
Ou será que quem tem razão é João Domingues Arede e que a origem de Ovar tem proveniência toscana? Ou antes origem germânica em Odvari?
Muitos autores confluem, no entanto, para esta opinião: o nome de Ovar adveio do nome de um ribeiro.
“Este rio Ovar é aquele que vai desaguar junto à cidade deste nome (o qual nome lhe adveio do rio e que é, neste, de origem pré-romana)”, refere Almeida Fernandes.

1620872_669677089740349_1637426620_n  

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Leia também

Close