LocalSlider

Fundo do Porto do Carregal subiu 1,70 metros em dez anos (DA)

Há muito que velejadores e amantes da Ria em geral chamam a atenção para a crescente degradação das condições de navegabilidade, em particular no canal de Ovar da Ria.

A degradação das condições desta zona da Ria está a chegar a um ponto insustentável: “Os barcos já tocam o fundo na maré baixa e os passadiços correm o risco de partir pelo mesmo motivo”, descreve Hélder Ventura, acrescentando que a “Câmara Municipal de Ovar ouviu o alerta e entendeu que era uma emergência”.

Sem perder mais tempo, o executivo ovarense vai assinar um protocolo com a NADO, concessionária do espaço, a fim de viabilizar a intervenção municipal e a obtenção das autorizações e pareceres necessários das entidades com jurisdição sobre a área. O desassoreamento do Porto de Recreio do Carregal e a requalificação urbanística e ambiental da área compreendida entre o Cais da Pedra e o Cais do Carregal, em Ovar, vão mesmo avançar.

A intervenção proposta visa o desassoreamento superficial de manutenção da área das docas, por forma a garantir a funcionalidade do Porto de Recreio. “É imperioso intervir para proteger as infra-estruturas da marina e acautelar a flutuabilidade das embarcações”, vinca Hélder Ventura, garantindo que esta “intervenção é decisiva para a permanência do Porto de Recreio, caso contrário, tudo se degradaria muito rapidamente, correndo o risco de desaparecer”.

Sendo pontual, no entanto, o projecto não inviabiliza que se pense numa operação mais abrangente para a Ria, que se debate com diversos problemas. Daí que este protocolo surja na sequência da aprovação em reunião de Câmara, no passado dia 16 de Abril, do programa preliminar da empreitada de desassoreamento do Porto de Recreio do Carregal.

A intervenção municipal preconizada visa o desassoreamento superficial da área das docas, por forma a garantir a funcionalidade do Porto de Recreio.

Cenário de utilidade pública

Ligado ao Cenário – Centro Náutico da Ria de Ovar, Hélder Ventura recebeu com satisfação o facto da edilidade declarar a Utilidade Pública da colectividade sediada em Válega. Fundado em 24 de Maio de 2004, o Cenário tem por objecto a promoção, divulgação e recuperação do património náutico e ambiental da Ria de Aveiro, o fomento da náutica de recreio e da preservação e construção de embarcações, bem como a divulgação de estudos de investigação sobre o património náutico e ambiental.
A proposta diz que “a colectividade satisfaz os requisitos previstos na lei, para além de ter um curriculum reconhecido de serviço à comunidade nas áreas cultural e recreativa, constitui um bom exemplo da prática e dinâmica do associativismo no concelho de Ovar e no país”.
Hélder Ventura reconhece que esta “Câmara Municipal de Ovar demonstra sensibilidade para a questão da Ria e aqueles que vêem nela uma oportunidade de desenvolvimento económico, e não apenas lúdico, não podem deixar de ficar satisfeitos”.

(Ler in Diário de Aveiro)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta