DesportoFutebolSlider

Futebol da Ovarense em conversações com novos donos do Marques da Silva

Clube vai doar mil euros ao Hospital de Ovar

A direcção da Ovarense Futebol vai fazer um donativo de mil euros ao Hospital Dr. Francisco Zagalo para ajudar no combate ao Covid-19 e auxiliar no tratamento de doentes que precisem de cuidados médicos.

O presidente da direcção, António Godinho, revelou ao nosso jornal que, além desta verba, será ainda doada à unidade de saúde vareira a primeira cota de todos os novos sócios que se filiem no clube vareiro este ano.

Numa altura em que está a completar ano e meio na liderança do direcção, António Godinho explicou que, além do clube querer ajudar, “esta é igualmente uma forma de agradecer ao povo vareiro tudo o que fez por nós neste período em que, apesar dos obstáculos, nos levou ao segundo lugar do Campeonato SabSeg”. “Crescemos em toda a linha”, congratula-se, acrescentando que “ainda estamos longe do clube que queremos ser, mas já mostramos que o caminho é este e está certo”.

Apesar das dificuldades, António Godinho enfatiza o carácter solidário da iniciativa que o clube tem em curso. “Vivemos numa união muito grande e apelamos às pessoas para ajudarem, pois quantos mais novos sócios tivermos, mais poderemos doar ao Hospital, ao mesmo tempo que angariamos mais associados”.

Estádio na nova época?
Feita a escritura do Estádio Marques da Silva, os novos proprietários do espaço manifestaram disponibilidade para o clube se manter nas instalações e António Godinho acredita que isso vai acontecer. “Antes do confinamento, falámos ao telefone para agendar uma reunião de modo a acertar os pormenores”. Entretanto, surgiu a crise do Covid-19 e a reunião não se pôde relizar, mas “estou convencido de que vamos conseguir manter-nos no Estádio Marques da Silva na nova época”.

O clube não tem outra opção. “Temos o campo de treinos das camadas jovens, junto ao Dolce Vita, mas a equipa feminina não poderá lá jogar, pois não estão reunidos os requisitos necessários para um clube da liga principal, nem o público teria condições de acolhimento”, aponta o dirigente.

Apesar de tudo, António Godinho não perdeu a esperança de que “vamos recuperar o Estádio Marques da Silva, com o apoio da população e do Município, julgo que vamos encontrar uma maneira de o devolder à cidade e à Ovarense”.

Quanto ao caso da União de Lamas, António Godinho entende a pretensão mas julgo que “é competamente descabida e podem ter a certeza que vamos defender o nosso segundo lugar e o posição conquistada no Campeonato de Portugal do ano que vem”.

Assim, o balanço deste ano não podia ser mais positivo. “Fizemos uma época sensacional com um orçamento relativamente baixo”. O que, afinal, “não constituiu uma surpresa para nós, porque sabíamos o que estávamos a fazer”.

“Trabalho e dedicação foram as palavras chave do sucesso”, desvenda o presidente que aponta um outro factor não menos importante: O apoio do público. “Não houve um jogo em que a Ovarense estivesse em desvantagem nas bancadas. Era sempre uma festa onde ia a Ovarense: Avanca, Pampilhosa, Castelo de Paiva, Estarreja, enfim, por todo o lado”.

O que vai ser a próxima época ainda é cedo para saber. “Não se sabe o que vai acontecer, mas a base da equipa vai ser a mesma”, prometeu António Godinho.

Fotos: AD Ovarense Futebol

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo