Empresas

Gigante alemão ocupa espaço do holandês (DV)

[themoneytizer id=”16574-1″]

 

A Philips foi, durante quase quatro décadas, uma das maiores empregadoras de Ovar. A multinacional holandesa encerrou a sua última unidade em 2009, num processo que se iniciou na viragem do milénio e se foi arrastando no tempo. Chegaram a trabalhar 2500 pessoas no complexo da Philips.

Deslocalização de produção e alterações profundas no mercado foram as justificações avançadas na época pela marca de produtos electrónicos para o abandono da produção em Portugal. Em sentido inverso, a Bosch decide expandir o seu negócio no país e tornou-se uma das tábuas de salvação da região.

O grupo alemão começou por comprar o negócio da videovigilância da Philips, em 2002, e hoje já contabiliza um investimento superior a 40 milhões de euros em Ovar. Utiliza 19 500 metros quadrados do complexo e emprega mais de 700 pessoas. No ano passado, aumentou a área fabril e preparou a unidade para o futuro.

A Bosch Ovar será responsável pela investigação e desenvolvimento de novas soluções de hardware, software e inteligência artificial para a divisão de ferramentas eléctricas. Segundo frisa a multinacional, o investimento de 2017 foi um “reflexo do crescimento do negócio” e teve “um impacto significativo na redução da taxa de desemprego na zona de Ovar (cerca de 10%)”. (Ler artigo completo in “Dinheiro Vivo“)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo