Local

Homicida de rapaz deficiente começou a ser julgado

Carlos Fonseca confessou, segundo uma testemunha citada pelo Correio da Manhã, que matou Augusto Pereira em Pardilhó, Estarreja, a 6 de abril de 2021. “Perdi a cabeça”, disse aos juizes o suspeito.

O julgamento começou ontem no Tribunal de Aveiro, em sessão fechada a jornalistas.

Augusto Pereira foi encontrado sem vida, num poço em Pardilhó, Estarreja, a oito quilómetros do local onde desapareceu, em Ovar. O pedido de intervenção dos bombeiros deu-se cerca das 22h15, no entanto, o cadáver tinha sido encontrado durante a tarde.

Augysto teria um atraso cognitivo, que fazia com que apresentasse o discernimento de uma criança com cerca de 13 anos, o que levou a família a entrar em desespero após o seu desaparecimento.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo