Saúde

Hospital de Ovar conquista menção honrosa no prestigiado Prémio Saúde Sustentável

O Hospital Dr. Francisco Zagalo, de Ovar (HFZ-Ovar), voltou a ser finalista do Prémio Saúde Sustentável, conquistando uma menção honrosa na categoria “Transformação Digital”, com o projeto “Monitorização das infeções hospitalares em tempo real”.

Continuamos a encarar a aposta na tecnologia e na desmaterialização como um dos grandes pilares da nossa atuação e esta distinção traz-nos ainda mais responsabilidade neste processo dinâmico”, afirma o presidente do Conselho Diretivo do HFZ-Ovar, Luís Miguel Ferreira. 

A transformação digital que iniciámos, em 2017, com o lançamento do projeto-piloto e estruturante ‘HOSP: Hospital de Ovar está, por exemplo, no topo do contexto do Serviço Nacional de Saúde (SNS) no indicador ‘Receitas sem Papel Totalmente Desmaterializadas’”, sublinha. “Acresce referir que reduzimos o consumo de papel em cerca de 40 por cento e trouxemos mais segurança e eficácia a todo o processo de registo e monitorização da nossa atividade assistencial e administrativa”, acrescenta.

O projeto, agora distinguido, visa a deteção, em tempo real, de infeções ocorridas em contexto hospitalar, para apoio na tomada de decisão atempada tanto pelo Grupo Coordenador Local do Programa de Prevenção e Controlo de Infeção e de Resistências aos Antimicrobianos (GCL-PPCIRA),  como pelas equipas médicas.  É um processo totalmente desmaterializado e possibilitador de uma vigilância preventiva, proativa e de alerta automático. Trata-se de uma ferramenta que permite ainda monitorizar determinados indicadores e produzir relatórios/informações de apoio à decisão, numa área crítica como esta das infeções hospitalares.

O Prémio Saúde Sustentável é uma iniciativa do Jornal de Negócios e da Sanofi e tem como objetivo distinguir e premiar qualquer entidade ou área funcional, prestadoras de cuidados de saúde, dos setores públicos, privado ou social.  

 

Os vencedores da 11ª edição foram anunciados esta quarta-feira, no Museu do Oriente, em Lisboa, numa sessão que incluiu um debate sobre o tema “A Saúde Baseada em Valor”, com o encerramento dos trabalhos a contar com a presença do ministro da Saúde, Manuel Pizarro.  

O júri foi composto por diversas figuras notáveis da área da saúde em Portugal e representantes de várias instituições parceiras desta iniciativa, sendo presidido pela ex-Ministra da Saúde, Maria de Belém Roseira. 

O HFZ-Ovar tem sido finalista do Prémio Saúde Sustentável desde 2019, ano em que venceu a categoria “Cuidados Hospitalares”, com o seu projeto de desmaterialização de registos e processos em curso desde outubro de 2017, designado por “HOSP – Hospital de Ovar sem Papel”.  

Na edição de 2020, voltaria a conquistar o galardão na categoria “Replicabilidade”, entre 111 candidaturas, com a “Escala de Risco Covid-19”, um projeto que permite antecipar o risco de infeção pelo coronavírus. 

Nesta edição de 2022 foi, portanto, a quarta vez consecutiva que o Hospital de Ovar consegue chegar ao restrito grupo dos três finalistas de cada categoria. “Aproveito para enaltecer o esforço e dedicação dos profissionais deste Hospital que, num contexto de reduzida dimensão da generalidade das equipas, conseguem ter a abertura de espírito para abraçar projetos inovadores e diferenciadores”, remata Luís Miguel Ferreira.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo