SaúdeSlider

Hospital Dr. Francisco Zagalo com indicadores de excelência

 

sinas

A Entidade Reguladora da Saúde divulgou os resultados da avaliação e classificação multidimensional da qualidade global dos serviços de saúde, cobrindo as dimensões Excelência Clínica, Segurança do Doente, Adequação e Conforto das Instalações, Focalização no Utente e Satisfação do Utente, no âmbito do [email protected]

O SINAS (Sistema Nacional de Avaliação em Saúde) é um sistema de avaliação da qualidade global dos estabelecimentos prestadores de cuidados de saúde desenvolvido pela Entidade Reguladora da Saúde. Tem por base três valores fundamentais: rigor, transparência e objectividade.

O Hospital Dr. Francisco Zagalo, de Ovar, neste ciclo de recolha, obtém comprovada qualidade da prestação por excelência clínica (ortopedia e cirurgia de ambulatório) e excelência na focalização, conforto e satisfação do utente. Obteve ainda classificação superior na Focalização no Utente, Segurança do Doente, Adequação e Conforto das Instalações

O Conselho de Administração (CA) do Hospital de Ovar deliberou congratular-se com os resultados obtidos, manifestando público reconhecimento às equipas do projecto SINAS.

“Aos demais profissionais envolvidos nestes projectos, o CA reconhece o seu profissionalismo e dedicação, exortando-os a prosseguirem a melhoria contínua no desenvolvimento do projecto, como forma de podermos vir a atingir os patamares de qualidade e excelência para o Hospital de Ovar”, lê-se em nota assinada por Luís Vaz, presidente do CA.

O administrador salienta ainda a “importância estratégica que a atribuição tem neste momento, por ser uma altura em que a Tutela define o futuro, a garantia de excelência coloca em foco a qualidade, a satisfação do utente, a centralidade no sentido de orientação ao cidadão, e quão bem faz nas áreas de ortopedia e ambulatório”.

O presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, dá os parabéns aos funcionários do hospital e aguarda agora a reação do Ministério e espera que esse demonstre “sensibilidade” para a realidade local, “reabrindo o serviço de Urgência e disponibilizando logo uma VMER”.

“Se assim não for, será um caso sério, pois, nesta questão, tal como ficou demonstrado na reunião com as instituições locais, lutaremos todos juntos e com muita determinação”, avisou.

Refira-se que os dados reportam-se a episódios com alta entre 1 de janeiro de 2015 e 31 de dezembro de 2015.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta