CulturaGaleriaSlider

Igreja Matriz de Válega: O céu mora aqui

Ovar é embaixador do azulejo em Portugal. Como tal, não podíamos deixar de destacar o exemplo maior da azulejaria concelhia e uma das “jóias da coroa”: A Igreja Matriz de Válega ou Igreja de Nossa Senhora do Amparo cuja romaria se estaria a festejar nesta altura do ano.

Quem passa pela EN109 não se apercebe da beleza que se esconde nesta igreja, sem dúvida, uma das mais fascinantes de Portugal, pela sensação de deslumbramento e encanto que nos provoca. Se o céu existe, ele mora ali, certamente!!
Também conhecida como a “Capela Sistina Portuguesa”, deslumbra pelos seus azulejos, tanto no interior como no exterior e é uma das mais belas igrejas de Portugal. Trata-se de uma verdadeira obra-prima da arte da pintura em azulejo e uma das mais impressionantes igrejas em Portugal.

As obras de construção desta impressionante igreja começaram no século XVIII, em 1756 e prolongaram-se por mais de um século. Entre 1923 e 1958, realizaram-se trabalhos de conservação e entre 1959 e 1960 foi revestida com azulejos polícromos da Aleluia Cerâmicas (Fábrica Aleluia, de veiro) a fachada principal, as paredes interiores da nave e a parte superior do arco triunfal.
Em 1975 teve lugar o revestimento dos alçados laterais e posterior com azulejos desenhados pelo arquitecto Januário Godinho. Ao pôr-do-sol, a fachada da igreja, virada para poente, é particularmente bela; banhada pelos raios de sol é um verdadeiro templo dourado que brilha com os seus fantásticos azulejos de múltiplas cores. Venha a Válega tocar um pouco do céu durante todo o ano.
De arquitectura religiosa, barroca. Igreja paroquial de planta longitudinal composta por nave, capela-mor, duas sacristias aos lados da capela-mor e torre sineira à esquerda da fachada principal. Composição da fachada principal com pilastras, entablamento e empena de cornija; portal único com pilastras e entablamento encimado por nicho que se completa de óculo na empena e é ladeado por duas janelas do coro; coro-alto sobre abóbada, dois púlpitos opostos, dois arcos retabulares nos flancos, arco triunfal e dois outros colaterais de pilastras decoradas com almofadas corridas, entablamento e frontão curvo e interrompido; tectos de caixotões de madeira; retábulo principal de madeira pintada.
Em 2014, a Câmara Municipal de Ovar requalificou o adro da Igreja dando-lhe a dignidade que o templo há muito merecia e em 2017, esta mítica igreja do concelho de Ovar foi o mote para uma colecção de acessórios de moda que vai desde sapatilhas até a colares, passando por brincos e anéis.

Mais recentemente, decorreram trabalhos de recuperação da fachada principal da Igreja de Válega, englobando trabalhos ao nível da conservação e restauro do revestimento azulejar, a conservação da cantaria, entre outros. O templo tem sido um dos destaques do programa do “Maio do Azulejo”, uma iniciativa do pelouro da Cultura do Município, tendo recebido concertos de Maria João ou Rita RedShoes.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta