Local

Instalações artísticas resultantes da Open Call “Provocar a Paisagem” começam a sua itinerância

As instalações artísticas resultantes da Open Call “Provocar a Paisagem”, no âmbito do projeto “Descobrir e Experienciar Novos Territórios”, foram apresentadas publicamente no sábado, nos Municípios participantes: Estarreja, Aveiro e Covilhã.

As obras vencedoras desta convocatória artística, com curadoria de Rachel Caiano, são criação de Fernando Aranda, de Mário Afonso e de Marzia Bruno que trouxeram para o processo criativo o diálogo e confronto entre os diferentes espaços, o corpo e o tempo. Desenvolveram um diálogo artístico sobre territórios que não são os seus, pensando os conceitos de território, paisagem, natureza e relação do Homem com o lugar.

Fernando Aranda, da Covilhã, foi o artista designado para a intervenção no município de Estarreja, intitulada “Estuário Ria-Muro”. Sobre a instalação artística, o autor refere que “em geografia um estuário é um ambiente aquático de transição entre um rio e o mar, é a foz, no mar, de um rio onde se trocam água salgada e água doce, devido às marés. Provavelmente este termo seja parte da origem do nome Estarreja.” Por outro lado, diz que “caminhar é similar a fluir, assim como uma ria faz no seu percurso. Nas ideias de estuário e de caminhar encontramos os conceitos de transição, movimento entre dois lugares. Desta maneira, entre fluxo e caminhar encontra-se a nossa aproximação ao território da Estarreja.”

A obra de artista Marzia Bruno, residente em Aveiro, apresentou na Câmara Municipal da Covilhã “TriângulAÇÕES”, e Mário Afonso, residente em Estarreja e selecionado para a intervenção no município de Aveiro, deu a conhecer “Nova Dimensão Visual”, no terraço do Edifício Atlas.

Os municípios de Estarreja, Aveiro e Covilhã partilham um singular património cultural e natural que importa promover, nomeadamente, monumentos, património de Arte Nova, património natural, património industrial, que importa, cada vez mais, ativar, desenvolver e promover enquanto instrumento de diferenciação e competitividade dos territórios, com impacto na qualificação e valorização turística. Sob este princípio, as três peças criadas nesta convocatória artística, após a apresentação pública em cada um dos Municípios, serão expostas em conjunto nos três municípios, promovendo o princípio da descoberta e experienciação dos territórios envolvidos.

A itinerância inicia em Aveiro, no âmbito do Festival dos Canais, no dia 22 de julho. Estarão expostas na Covilhã a partir do dia 12 de agosto. Já em Estarreja, as obras serão dadas a conhecer no festival ESTAU – Estarreja Arte Urbana, que arranca a 10 de setembro.

A convocatória aos artistas residentes em qualquer um dos Municípios da CIM Região de Aveiro e da CIM Beiras e Serra da Estrela, com formação e/ou experiência na área da ilustração, teve o objetivo de desenvolver um programa de instalações artísticas, na área da ilustração. O desafio consistia em criar obras em diálogo/confronto com o território e a paisagem, que transmitam o espírito do lugar, as vivências da relação do Homem com a Natureza, numa simbiose da qual a imperfeição da sua relação pode ser alvo de pensamento e reflexão.

Esta iniciativa surgiu no âmbito do projeto “Descobrir e Experienciar Novos Territórios: Estarreja/Aveiro/Covilhã”, uma candidatura à Programação Cultural em Rede, liderada pelo Município de Estarreja e financiada a 100% pelo Programa Operacional Regional do Centro 2020, tendo como parceiros os municípios de Aveiro e Covilhã.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo