AtletismoDesporto

João Correia já tirou bilhete para Tóquio

Primeiro português a conquistar medalhas para o atletismo em cadeira de rodas

Agora é oficial, João Correia, primeiro atleta português a ganhar uma medalha internacional para o atletismo em cadeiras de rodas, acaba de conquistar vaga e qualificação direta para representar Portugal nos Jogos Paralímpicos que se disputam em Tóquio, no Japão, de 24 de agosto a 5 de setembro. No ano em que completa 20 anos de carreira, João Correia está prestes a estrear-se nos Jogos Paralímpicos depois de inúmeras participações em competições nacionais e internacionais, como os campeonatos da Europa de 2003 e 2005, de onde saiu medalhado.

A minha carreira é marcada por várias lesões que fazem de cada prova uma questão literal de vida ou morte e, mesmo assim, nunca desisti de fazer o que mais gosto. Depois de várias lesões graves que me impediram de ir aos dois últimos Jogos, finalmente vejo a oportunidade de cumprir o sonho de uma vida e vestir a camisola portuguesa nuns Jogos Paralímpicos”, afirma João Correia. “Tenho a ambição de chegar à final e poder trazer a melhor classificação possível para Portugal, mas estar nos Jogos já será uma vitória enorme que partilho com a minha família, amigos e todos os que me apoiam”, conclui.

João Correia alcançou, há um ano, a marca dos 22,01 segundos que o colocou na 5. ª posição do Ranking Mundial (de 24 meses), nos 100m cadeira de rodas, classe T51 e vê agora a sua qualificação confirmada de forma direta, após ter confirmado em 2021 a marca de qualificação HPS (High Performance Standard), ao abrigo dos critérios de qualificação da Federação Portuguesa de Atletismo para os Jogos Paralímpicos Tóquio 2020: “Atletas posicionados entre os 6 primeiros lugares do Ranking de Qualificação, no período de 1 de abril 2019 a 1 de abril 2021”.

João Correia nasceu em 1983, em Santo Tirso e, aos dois anos, sofreu um acidente que o deixou numa cadeira de rodas. Em 1991, começou a praticar desporto, tornando-se no primeiro atleta português a ganhar uma medalha internacional, na modalidade de atletismo em cadeira de rodas. Já conta com 20 anos de carreira e mais de 68 participações em provas nacionais e internacionais. Em agosto de 2018, foi alvo de uma delicada cirurgia à cervical, tendo regressado às competições em janeiro de 2019.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta