LocalSlider

José Almonte Jesús é o novo pároco de São João e São Vicente de Pereira

As Paróquias de São João de Ovar e São Vicente de Pereira acolheram, no passado dia 4, de forma festiva, a entrada solene do novo pároco, Padre José Almonte Jesús, após nomeação do Bispo do Porto, D. Manuel Linda.

Natural da República Dominicana, o novo padre vem substituir Victor Pacheco que assumiu a Paróquia de São Cristóvão de Ovar.

PERFIL
Nome: José Almonte Jesús
Idade: 31 anos
Nacionalidade: República Dominicana
Seminário Diocesano Missionário Redemptoris Mater do Porto

P: Quando é que o seu amor a Cristo passou a ser chamamento para a vida sacerdotal?

R: Fui batizado com 10 anos e entrei na Igreja com a idade de 15 anos fiz as catequeses do Caminho Neo Catecumenal e fiz parte de uma comunidade. Foi um verdadeiro encontro com Cristo que não esquecerei, uma grande ajuda para o momento de crise na minha adolescência e rebeldia contra o meu pai. Foi aí que me reconciliei com o meu pai e aprendi a ama-lo. na Igreja encontrei sentido na minha vida com Deus e começou a mudar a minha atitude agressiva. E neste contexto, comecei a sentir os primeiros sinais do chamamento vocacional. Estava contente e agradecido pelo que o Senhor estava a fazer na minha vida e na minha família.

P: Qual foi a importância da família na sua decisão vocacional?

R: A família foi e contínua a ser um pilar na minha vocação, especialmente, a minha mãe, um exemplo de fé e de coragem para mim e toda a família. Ela transmitiu-nos a fé, ao meu irmão e a mim e nos aconselhava a não deixar a Igreja. Dizia que ser cristão é o mais importante na vida e ela própria deu exemplo em casa. Quando eu disse em casa que queria ir para o seminário ela me apoiou em tudo, o meu pai não concordou logo, mas aos poucos foi aceitando.

P: Como foi o seu percurso de vida até chegar ao Seminário?
R: Aos 18 anos acabei a escola secundária e falei com o pároco da minha paróquia de origem para entrar no Seminário Redemptoris Mater de Santo Domingo. Ele me aconselhou em liberdade a procurar trabalho e a namorar para ganhar mais maturidade e discernir melhor a vontade de Deus para mim. Então fui trabalhar na mercearia com a minha avó materna e depois passei para a construção civil e namorei com uma rapariga. Depois de um ano discernimento entrei no Seminário e fui enviado para o Seminário Redemtoris Mater de Porto que acabava de nascer.

P: Para si o que é ser padre hoje?
R: Dar a vida à Igreja por amor. Conhecer, amar e servir as pessoas. Levar o evangelho a tantas pessoas que procuram sentido para a vida e a muitos que perderam a fé. Estarmos disposto a levar as pessoas a descobrirem a beleza e a grandeza de ser cristão nesta sociedade de hoje que as vezes se mostra contraria ao cristianismo e à fé. E como pastores termos presente aquilo que somos e a missão que temos. Também as nossas limitações e fraquezas.

Uma leitura que o tenha marcado: “Salvaje de Corazón” – John Eldredge

Uma canção ou música especial: Maria Lisboa – Amália

Filme favorito: Os Condenados de Shawshank – The Shawshank Redemption

Local de oração preferido: Fátima

Uma personalidade da Igreja que o tenha influenciado: D. António Francisco dos Santos

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo