Publicidade
CulturaPrimeira Vista

Luísa Sobral e Egas Moniz fazem a “Festa na Quinta”

Oficina e sessão de leitura e música com Luísa Sobral, visitas encenadas, uma noite no museu, contos com fraldas, música e dança, espaço criança, quinta dos animais, stand up paddle, jogos tradicionais, visitas ao moinho, piquenique, circo e oficinas invadem este fim de semana a Quinta do Marinheiro, da Casa Museu Egas Moniz, em Avanca. O “Há Festa na Quinta” dirige-se às famílias e a visitantes de todas as idades, proporcionando uma oferta cultural e de lazer de e para todos, e acontece já este fim de semana, 12, 13 e 14 de julho.

No tempo de Egas Moniz, a Quinta do Marinheiro era uma festa. Sempre que ele chegava a Avanca para as férias de verão, a quinta ganhava vida. É esse lado carismático da personalidade do neurocientista que inspira este evento promovido pela Câmara Municipal de Estarreja.

Marcando os 56 anos da abertura da Casa-Museu Egas Moniz que se celebra no dia 14 de julho e inserido no programa comemorativo do 150.º Aniversário do Nascimento do neurocientista e Nobel da Medicina, o evento renova o convite a toda a população para que visite a casa onde nasceu e viveu o único Prémio Nobel português da Medicina, abrindo os portões da Quinta do Marinheiro para três dias de atividades culturais e de lazer.

publicidade

Visitas encenadas sobre a vida de Egas Moniz

O “Há Festa na Quinta” abre com “Confidências de ACAFEM”, visitas encenadas à Casa Museu Egas Moniz. As memórias e histórias ganham corpo e vida nas Confidências de ACAFEM, acrónimo de António Caetano de Abreu Freire Egas Moniz, num percurso surpreendente à vida do Professor, a par da beleza única da Casa-Museu do Prémio Nobel da Medicina e da sua Quinta do Marinheiro. Promovido pelo Município de Estarreja, este projeto artístico foi concebido a partir de textos da autoria de Egas Moniz e das cartas recebidas, com dramaturgia e encenação de Leandro Ribeiro e produção da Sol d’Alma – Associação de Teatro.

A primeira encenação está marcada para dia 12 às 18h30, com reposição no dia 13, às 11h e 17h, e dia 14, às 14h30 e 17h30. Com um limite de 15 participantes por visita, as inscrições podem ser feitas neste formulário.

Escrever canções com Luísa Sobral

Tirando ainda partido da Quinta do Marinheiro e da poesia do lugar, quem sabe não servirá de inspiração a Luísa Sobral, na oficina de escrita de canções que a compositora, uma das mais talentosas de Portugal, vai orientar em Avanca no sábado, dia 13. Destinada a quem já escreveu canções (ainda que não de forma profissional) e é capaz de se acompanhar por um instrumento, esta oportunidade única oferece ferramentas valiosas sobre escrita de canções. Junte-se a Luísa Sobral para explorar técnicas de escrita, e prepare-se para aprimorar as suas competências. Basta inscrever-se neste link. As inscrições são limitadas a 10 participantes.

Luísa Sobral mantém-se no “Há Festa” para apresentar “Alto e Bom Som”, no domingo, às 11h, onde se convida a mergulhar na riqueza da obra escrita da artista, explorando as letras das suas canções, além do seu segundo livro infantil, “O Peso das Palavras”. Todas as famílias estão convidadas a reunirem-se com a autora para ler e cantar, num ambiente de partilha, onde pequenos e graúdos poderão apreciar a magia da fusão da palavra com a melodia.

Os espetáculos são outra vertente do programa, estando agendados um showcase pelos alunos que frequentam a Oficina de Jazz da Orquestra de Jazz de Estarreja (sábado, 13h), o espetáculo Art Movente, da escola de dança YOUR STAGE (sábado, 16h), o espetáculo “CIRCO. À Moda antiga”, da companhia MALADARTE (domingo, 15h) ou o concerto da Banda INdecision, do projeto “Os Benjamins” (domingo, 16h).

Em permanência, decorrem durante o dia (11h às 19h) de sábado e domingo, o Espaço Criança que proporciona atividades lúdicas como modelagem de balões, tatuagens, atelier de construção de pasta de sal colorida e insufláveis; e uma ação de Edição de Gravura Comunitária, em que todos os visitantes da Quinta do Marinheiro podem experimentar este processo de impressão manual e imprimir a sua própria cópia desta edição exclusiva.

São mais de uma dezena as atividades que pode descobrir durante estes dias, por isso o melhor é consultar o programa que reúne todas as sugestões para um fim de semana intenso na bela Quinta do Marinheiro e na Casa Museu Egas Moniz, com entradas livres.

56.º Aniversário da Abertura da Casa Museu Egas Moniz

Egas Moniz, Prémio Nobel da Medicina em 1949, quis, em testamento, que a sua casa, bem como a Quinta do Marinheiro, fossem destinadas a Casa-Museu. Nesta casa nasceram os seus antepassados e nela nasceu o neurocientista.

Para a salvar da ruína mandou-a reconstruir em 1915 segundo um projeto do arquiteto Ernesto Korrodi. Hoje é semelhante às antigas casas solarengas do século XVIII, onde se destaca o estilo Arte Nova. A Casa-Museu foi instituída em 1968.

Manteve-se o ambiente e os objetos quotidianos do tempo do professor, para além das suas coleções de porcelanas de Sèvres e da Companhia das Índias, de pinturas de José Malhoa ou Abel Salazar. Como emérito colecionador que era, com o seu bom gosto, Egas Moniz conseguiu ao longo da sua vida adquirir belíssimas peças que passam por inúmeras coleções de mobiliário, porcelana, pintura, ourivesaria e tapeçaria. Ali se evoca os estudos que valeram a este médico português a distinção recebida da Academia de Estocolmo, sobre a angiografia cerebral e a leucotomia pré-frontal.

 

“Tudo se passa em torno

da Casa do Marinheiro

donde a família provém.

Ali todos se juntavam em dias festivos,

templo de confraternização, amizade e harmonia

que sempre viveu a minha gente.”

Egas Moniz

Publicidade
Botão Voltar ao Topo