CulturaPrimeira Vista

Maio será o mês do Azulejo em Ovar

O próximo mês de Maio será dedicado ao Azulejo, marcado por um conjunto de actividades, palestras e colóquios sobre esta forma tradicional de revestimento das casas vareiras.

A novidade foi avançada pelo vereador da Cultura, Alexandre Rosas, que explicou o surgimento da iniciativa com “a feliz coincidência de que o dia 6 de Maio será o Dia do Azulejo”. “Tínhamos outros nomes em cima da mesa mas acabamos por lhe chamar Maio do Azulejo”, anunciou.

O Mês do Azulejo vai incluir um programa de 3 dias promovido pela CIRA, com apoio comunitário e direccionado para a questão do património azulejar.

Em Ovar, o programa será extenso, com visitas, aulas para crianças, experiências, palestras, conferências, ou seja, um conjunto de acções dedicadas ao azulejo, adiantando Alexandre Rosas que a ideia é “tentar que possa evoluir para uma eventual bienal do azulejo”.

“É um primeiro passo no sentido de ter, de dois em dois anos, grupos de pessoas convidadas, da área científica ou criativa, que possam debater o azulejo desde a sua conservação até à sua evolução ou aquilo que é possível fazer-se no futuro”, explicita o autarca vareiro.

Alexandre Rosas esteve, na semana passada, no Museu do Azulejo, em Lisboa, para ultimar alguns contactos para um mês dedicado ao azulejo.
Sem adiantar muito mais, o vereador desvendou que “vamos ter muitas actividades nesta que será uma experiência para evoluir”.

Bastante satisfeito com o sucesso do azulejo na BTL, Alexandre Rosas diz que se “nota uma crescente consciencialização do azulejo e a BTL veio demonstrar que o azulejo diferencia-nos, sendo um trunfo importante, que encanta as pessoas que nos visitam, desde aquele que gosta de património, ao designer que aprecia o padrão”. Em suma, “foi uma aposta ganha”, congratula-se.

Em resultado deste trabalho, “notamos um aumento de pedidos no ACRA para apoio ao nível do azulejo, por lá já passaram mais de 1.500 crianças em workshops. As opiniões são muito favoráveis”, remata.

Um dos objectivos do trabalho do Município em torno do azulejo passa por divulgar a possibilidade das novas construções também puderem usar o azulejo. “Queremos que seja fácil encontrar um padrão personalizado e aqui acho que temos um nicho e uma oportunidade de negócio para muitas empresas”, revela Alexandre Rosas, acrescentando que “o nosso trabalho gira em torno do interesse em preservar mas também enquanto oportunidade de futuro”.

O que aconteceu na Rua do Azulejo, recorda, “foi precisamente o desmontar de alguns padrões tracicionais de azulejo que temos em Ovar para criar outros novos e mais modernos”. “Às vezes choca, sabemos disso, mas é uma evolução e começa a ser uma habituação porque está no chão”.

Em resumo, para o vereador da Cultura, o azulejo é “uma aposta fortíssima e está a dar resultados”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo