PolíticaPrimeira Vista

Mais de cinco mil militantes do PSD pagaram quotas em apenas um mês

Em todos os distritos e também nas regiões autónomas o PSD tem mais de 80% dos militantes em situação irregular. As duas candidaturas à presidência dos sociais-democratas mostram-se particularmente preocupadas com esta questão e temem que haja um pagamento maciço de quotas, por “caciquismo”, a partir do próximo mês.

O coordenador-geral da candidatura de Rui Rio, Salvador Malheiro, não esconde essa preocupação e, em declarações ao “Público”, afirma que o grande objectivo da candidatura é “tentar combater o pagamento de quotas em atraso de forma massificada”.

O também presidente da Câmara de Ovar e líder da distrital do PSD de Aveiro está particularmente atento a esta questão e diz recear que nestas eleições haja “sindicatos de voto”. A este propósito, defende que o partido deveria mudar o regulamento eleitoral, para que não seja possível que “estruturas organizadas” paguem quotas aos militantes.

Na sua reflexão, Salvador Malheiro entende que o futuro regulamento eleitoral do PSD deverá também contemplar a possibilidade de todos os militantes com um mínimo de dez anos de filiação possam votar com ou sem quotas em dia. E, numa clara aproximação ao PS, o coordenador-geral da candidatura do ex-presidente da Câmara do Porto arrisca que o partido deve abrir as eleições internas a simpatizantes do PSD.

Numa estratégia de envolver os militantes neste combate das directas, as candidaturas de Santana e de Rio estão a usar activamente as redes sociais, os endereços electrónicos e as mensagens por telemóvel para incentivar os militantes a ir votar no dia 13 de Janeiro. E o alvo são os 78.973 militantes com quotas atrasadas inferiores a dois anos. Para além destas ferramentas, cada uma das candidaturas dispõe de call centers, que estão a cargo de voluntários que foram expressamente recrutados para sensibilizar os militantes a pagar as quotas. (Ler artigo aqui)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo