LocalPrimeira Vista

MARIA já foi ouvido no inquérito aberto pelo Ministério Público

O MARIA – Movimento de Amigos da Ria de Aveiro esteve já a prestar declarações no âmbito de um inquérito aberto pelo Ministério Público sobre os termos em que está a decorrer a empreitada de desassoreamento em curso na Ria de Aveiro.

O advogado do Movimento, Pedro Tróia, acompanhou a diligência no âmbito deste inquérito do Departamento de Investigação e Ação Penal do Ministério Público de Aveiro, que está ainda numa fase preliminar e que, muito provavelmente, ouvirá outras testemunhas nas próximas semanas.

“Trata-se de um procedimento habitual neste tipo de inquéritos para recolha e registo de informação”, disse Paulo Ramalheira, citando o advogado que acompanhou o MARIA nesta diligência do Ministério Público.
Através de uma reportagem emitida no programa a Prova dos Factos, da RTP1, no passado dia 17 de junho, ficou a saber-se que o Ministério Publico abriu um inquérito na sequência de duas queixas apresentadas ao Departamento de Investigação e Ação Penal de Aveiro.

O Movimento de Amigos da Ria de Aveiro apurou, entretanto, que a abertura do inquérito em curso foi objeto de um despacho do Ministério Público datado do dia 02 do passado mês de Fevereiro.

A obra de desassoreamento em curso na Ria de Aveiro, iniciada em abril de 2019 e com um custo superior a 23 milhões de euros, deveria ter ficado concluída em julho de 2020, mas após uma sucessão de atrasos nunca explicados continua sem um fim à vista.

A empreitada tem sido objeto de duras críticas das diferentes comunidades da Ria de Aveiro e ainda de investigadores da Universidade de Aveiro, que, de um modo geral, consideram que a obra resulta num fracasso e num desastrado desperdício de dinheiros públicos.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo