Política

Mário Rui Natária é candidato à Câmara pelo CDS-PP

O independente Mário Rui Natária vai ser o cabeça de lista à Câmara Municipal de Ovar pelo CDS-PP, nas próximas eleições autárquicas, soube o OvarNews.

Muito crítico do actual executivo do PSD de Ovar, Mário Rui Natária é funcionário da Edilidade e liderou, recentemente, o movimento de moradores do lugar da Marinha, que preconiza uma solução diferente para a Ria de Aveiro naquela região ribeirinha que enfrenta a subida do nível das águas da laguna.

Fonte próxima do CDS-PP de Ovar disse que a lista do partido será totalmente composta por independentes e que “a única ideologia será Ovar e apenas Ovar”.

Fernando Camelo de Almeida repetirá a candidatura à Assembleia Municipal de Ovar que protagonizou de 2017.
Em ambas as candidaturas o objectivo será reforçar o resultado eleitoral obtido há quatro anos no qual o CDS conseguiu a eleição de um deputado na Assembleia Municipal de Ovar.

Há algum tempo que Mário Rui Natária se encontrava a preparar uma lista independente para concorrer à presidência da Câmara Municipal e nesse contexto terá contactado o centrista Fernando Almeida para a integrar. Com as novas exigências e dificuldades impostas por lei para aprovação de listas independentes, acabou por ser este a convidar Mário Rui Natária a candidatar-se pelo CDS-PP, na condição de respeitar a independência do candidato.

PERFIL

Natural de Ovar, Mário Rui Natária tem 57 anos, frequentou o Curso Superior em Estudos Europeus e Relações Internacionais da Universidade Lusófona do Porto e tem formação adicional em temas como legislação urbanística, comunicação e comportamento organizacional, e reabilitação urbana.

Em paralelo, sempre se dedicou ao desporto em clubes locais, tendo sido atleta federado ou dirigente em modalidades como ténis de mesa, motocross, vela, andebol, hóquei em patins e patinagem.

Ao nível associativo, foi ainda “dirigente de várias coletividades locais”, acompanhando essa atividade com “uma grande paixão por animais”.

Questionado sobre o calendário previsto para o escrutínio relativo aos órgãos autárquicos locais, que a Comissão Nacional de Eleições prevê realizar-se em setembro ou outubro de 2021, Mário Rui Natária ainda não tem opinião formada sobre a hipótese de a data ser adiada devido aos efeitos sociais e epidemiológicos da covid-19.

“Acho prematuro falar-se da possibilidade do adiamento das eleições antes do verão, porque apenas nessa altura poderemos ter uma noção da evolução da pandemia. No entanto, estamos preparados para ir a votos em qualquer altura”, concluiu.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta