EmpresasPrimeira Vista

Meio milhar de colaboradoras Yazaki em prova solidária pelo IPO

540. Este é o número-chave da combinação vencedora da Corrida da Mulher 2017. Foram 540 mulheres, colaboradoras da Yazaki Saltano, que no dia 21 de maio, vestiram t-shirts cor de rosa, calçaram umas sapatilhas e foram para o Porto, marcar passo e compasso naquela que é a corrida solidária de apoio ao IPO Porto.

“Voltamos a bater um recorde de inscrições!” refere Margarida Maia, Team Leader do departamento de Higiene e Segurança no Trabalho e, também, a “[ir]responsável” (como diz ser) por reunir este grupo de pessoas. Conta-nos que esta iniciativa foi levada para os meandros da Yazaki em 2012 e que, desde então, o número de aderentes tem vindo sempre a aumentar. “Até há homens que querem participar” – ri-se.

Mas homens aqui não entram e a organização explica porquê: “Esta prova é exclusiva a mulheres, e pretende alertar para a importância do rastreio do cancro da mama”. Este flagelo, ainda responsável pela perda de muitas vidas em Portugal, pede a consciencialização de todas as mulheres e familiares, para acções preventivas. “Se detectado a tempo, é possível tratar na totalidade, mais de 90% dos casos”, pode ler-se no site da RunPorto, a empresa responsável por esta corrida.

E é precisamente pela vertente solidária que Raquel Silva, uma colaboradora do centro técnico da Yazaki (PTC) decidiu meter-se nesta aventura: “Não custa nada!” – garante-nos, ao acrescentar que os 5 KM de prova lhe correram “muito bem”. “Acho muito importante apoiarmos este tipo de iniciativas, ainda para mais, a Yazaki é uma empresa com tantas mulheres.” Solidariedade foi a palavra de ordem, na onda cor de rosa que marcou e marchou as ruas da cidade do Porto, na manhã de Domingo.

E abdica-se de uma manhã de Domingo para estar ali? “Claro que sim!”, afirma Rosa Silva, uma colaboradora da linha de montagem, ao acrescentar que “nada disso importa, sabendo que os fundos recolhidos vão reverter a favor do IPO”.

Mas nem só de solidariedade se reveste este desafio: há um espectáculo de bastidores frenético. E quem nos garante é Diana Ramos, parceira de Margarida Maia na organização deste dia.

“Foi literalmente uma correria”, ri-nos. Nos olhos traz espelhado o sabor do sucesso e a prova de que o esforço compensa. “Foi mais de um dia e meio de trabalho a organizar os Kits para a corrida, com a t-shirt, chapéu, o lanche… mas foi divertido, diferente”, refere. Há compromisso e há trabalho e o resultado é o enraizar da tradição. “Já há quem esteja a perguntar pela próxima edição”, garante-nos Margarida.

No meio da azáfama, “o mais divertido é participar com as colegas de trabalho e saber que estamos cá umas para as outras”, diz-nos Sónia Brandão do departamento de Moldes & Fibra Óptica, que trouxe consigo um grupo de 25 pessoas.

Contas feitas, esta prova de cariz solidário contou com a participação de 20 mil mulheres, que ajudaram a oferecer 20 mil euros ao IPO Porto. A Yazaki Saltano, Lda. foi a empresa com maior número de contribuições, fazendo deste desafio, mais uma prova de que o cariz solidário continua vivo. E, permitindo-nos a troca, o espírito Yazaki também: “Um Por Todas, Todas Por Uma”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo