LocalPrimeira Vista

Mercado Eco-circular de Maceda vai ser uma realidade

O Mercado Eco-circular de Maceda foi um dos projectos apoiados entre 147 candidaturas na categoria da economia circular, uma iniciativa do programa JUNTAr que tem como objectivo geral implementar soluções locais de economia circular, demonstrando os benefícios económicos, sociais e ambientais associados.
A assinatura do contrato-programa entre o Ministério do Ambiente e a Junta de Freguesia de Maceda decorreu esta quarta-feira, numa cerimónia em Gondomar, com o presidente macedense, Miguel Silva a adiantar que “o documento prevê um apoio de aproximadamente 22 mil euros, correspondentes a 75% do total do investimento que pretendemos fazer”. No caso, o autarca adianta que o projecto vai instalar-se no mercado da freguesia, “actualmente pouco dinamizado” e que, desta forma, “nos vai ajudar a estar na vanguarda do pensamento ambiental”.
Assim, Miguel Silva adianta que, em parceria com a EB 2,3 de Maceda, “vamos apostar nas trocas a pensar nas crianças”. Ou seja, “ao longo da vida, as acrianças crescem com uma série de brinquedos que lhes são oferecidos e que, quando cresçam, deixam de fazer sentido”. Ou seja, “as crianças passam a carecer de outro tipo de brinquedos”. A ideia, continua o presidente, “é fazer com que eles tragam esses brinquedos que já não usam ao mercado eco-circular e os troquem por outros mais de acordo com a sua idade e necessidade, dando, assim, início a uma nova vida desse brinquedo sem dar início a um novo ciclo de desperdício”, vinca.
Economia Circular é um conceito estratégico que assenta na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia. Substituindo o conceito de fim-de-vida da economia linear, por novos fluxos circulares de reutilização, restauração e renovação, num processo integrado, a economia circular é vista como um elemento chave para promover a dissociação entre o crescimento económico e o aumento no consumo de recursos.
O JUNTAr+ do Fundo Ambiental é um programa do Ministério do Ambiente e da Transição energética que visa apoiar políticas ambientais para a prossecução dos objectivos do desenvolvimento sustentável, destinado a apoiar soluções locais de economia circular, cujos beneficiários são as Juntas de Freguesia.
No caso de Maceda, Miguel Silva revelou que a verba se destina a executar algumas obras no mercado actual, de modo a adaptá-lo para a nova finalidade. A autarquia já tem o projecto, encontrando-se, neste momento, na fase de propostas e cabimentação orçamental. A seguir, a junta pensa lançar uma campanha de sensibilização para a população e tenciona disponibilizar o novo projecto ainda este ano. “Estou convencido de que poderemos arrancar com o Mercado Eco-Circular no mesmo momento em que inaugurarmos o “Maceda Vila Natal” de 2019”, concluiu Miguel Silva.
O gabinete do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, informou que “a procura de apoios superou largamente as verbas disponíveis”, com 41 candidaturas escolhidas de entre um total de 283.
Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo