Cultura

Na génese da criação do Dia Nacional do Azulejo

Rafael Salinas Calado, investigador e primeiro director de Museu Nacional do Azulejo, especialista em azulejaria e cerâmica portuguesas, foi o primeiro a considerar Ovar um verdadeiro museu vivo do azulejo e um “testemunho exemplar” das virtudes do azulejo português.

Na realidade, os azulejos das fachadas do centro da cidade conferem-lhe um caráter singular e despertam a curiosidade de qualquer um. Devido à importância que o Património Cerâmico apresenta para o Município, a Câmara Municipal criou em 2000 o Atelier de Conservação e Restauro do Azulejo. Este é um elemento-chave na salvaguarda, preservação e recuperação dos elementos com valor patrimonial, artístico e histórico. Para cumprir a sua missão, realiza diversas actividades nas áreas da preservação, conservação e do restauro, apoiando-se muitas vezes na investigação mais recente que decorre na Universidade de Aveiro.

Ora, a proposta para a criação do Dia Nacional do Azulejo, que se celebra no dia 6 de maio, foi apresentada pelo Projecto ‘SOS Azulejo’ em 2016, projecto do qual a Universidade de Aveiro (UA) é parceira. Aliás, o trabalho da UA no campo do azulejo é vasto, tendo a Universidade, em conjunto com a Câmara Municipal de Ovar, recebido inclusivamente o Prémio Investigação Integrada em 2013.

A investigação efectuada na UA tem abrangido o estudo das características dos azulejos e das argamassas de assentamento, assim com o desenvolvimento de materiais compatíveis para aplicação no âmbito de ações de conservação e restauro de fachadas azulejadas. Esta abordagem é fundamental no contexto da reabilitação do património edificado e da preservação cultural, permitindo o estabelecimento de bases adequadas para uma aplicação criteriosa de materiais, seguindo princípios de compatibilidade e reversibilidade.

O Mestrado em Reabilitação do Património da UA, do Departamento de Engenharia Civil – Decivil, assume-se como garantia de uma formação muito orientada para habilitar os seus diplomados no exercício especializado na Reabilitação do Património Edificado, adquirindo competências de nível europeu para diagnosticar, projetar, conceber, gerir, planear, coordenar, reabilitar e conservar edifícios em obras de Reabilitação, contribuindo com relevância na preservação e proteção do património cultural edificado.

Sendo a Câmara Municipal de Ovar a única autarquia do país que dispõe de um Atelier de Conservação e Restauro do Azulejo (ACRA) podemos concluir que esta iniciativa trouxe o azulejo para a ordem do dia e fez do estudo da sua reabilitação uma emergência… nacional.

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo