Empresas

No caminho para uma produção sem falhas com a IA da Bosch

No caminho para uma produção sem falhas com a IA da Bosch

O utilizador-piloto da nova plataforma de análise de IA é a área de negócio de
Soluções de Mobilidade da Bosch. Nos próximos anos, a Bosch vai investir
cerca de 500 milhões de euros na digitalização e conectividade das suas
fábricas. A poupança esperada será duas vezes maior: cerca de mil milhões de
euros até 2025.

Uma parte integrante do projeto é o uso da inteligência artificial.
A colaboração entre o BCAI e as unidades desta divisão de negócio resultou
numa solução universal de IA para a produção que utiliza o Sistema de
Execução Nexeed Manufacturing (MES) da Bosch Connected Industry para
recolher, processar e analisar automaticamente dados de uma variedade de
fontes em tempo real. Os dados dos sensores das máquinas servem de base,
por exemplo, para determinar flutuações num amplo conjunto processos de
fabrico.

O software Industry 4.0 Nexeed traduz e visualiza os dados e códigos,
o sistema de IA consegue recomendar uma ação, e o colaborador tem apenas
de decidir como proceder. As principais ferramentas neste processo são os
dashboards, configurados individualmente e adaptados aos casos de uso local e
a correspondente análise de IA. Esta configuração facilita a procura de
potenciais causas de erros. Os processos de auto-adaptação para máquinas e
linhas de montagem também podem ser integrados. Se, por exemplo, um furo
de perfuração se desviar do posicionamento definido, o sistema de IA inicia de
forma independente os passos necessários.

Por vezes, o sistema de IA recebe o auxílio de câmaras que estão posicionadas ao longo das linhas de produção e registam o processo de fabrico. Com base nos padrões que aprendeu, o sistema
identifica desvios, e é possível avançar com as devidas medidas de forma
imediata. Além disso, os dados de campo e do cliente estão ligados à plataforma
em casos individuais. Isto ajuda o sistema a entender ainda melhor a forma
como os produtos se comportam, permitindo-lhe detetar defeitos em tempo útil e
prever falhas iminentes.

Bosch usa a IA para desbloquear o potencial de produção
Embora a indústria de manufaturação tenha compreendido a situação na teoria,
na prática ainda está atrasada: mais de metade de todas as empresas alemãs
(58 por cento) veem um potencial disruptivo na inteligência artificial, mas apenas
uma em cada sete (14 por cento) já está a usar a IA para a Indústria 4.0

Uma clara maioria dos alemães (60 por cento) gostaria de ver a
IA a ser mais utilizada na indústria, em sectores como a a produção automóvel
ou a construção de aeronaves. Esta é uma conclusão de extrema importância
por parte da Bosch AI Future Compass Apresentado em novembro de 2020, o
estudo indicou que mais de dois terços dos inquiridos ficariam agradados com a
utilização da IA no diagnóstico de falhas mecânicas e noutras áreas de alta
tecnologia. A Bosch já assumiu compromisso para com a inteligência artificial.

Nas operações de fabricação, a tecnologia já auxilia na redução de produtos
com defeitos, melhora a utilização de máquinas e sistemas e otimiza os
processos de produção. “A inteligência artificial é uma tecnologia do nosso
tempo comparável à invenção da imprensa. Acredito que vai revolucionar a
produção. Com a ajuda da inteligência artificial, máquinas e produtos aprendem
a ser inteligentes e antecipam-se”, diz Bolle.

Para além dos projetos nas suas próprias fábricas, a Bosch está a lançar no mercado soluções baseadas em IA.
As aplicações na manufaturação incluem inspeção visual automatizada de
peças, software para gestão inteligente da produção e gestão de energia
sofisticada. A Bosch apresentará as soluções de IA para a área de produção na
edição digital da Hannover Messe 2021 (de 12 a 16 de abril).

Bosch incorpora a inteligência artificial na sua estratégia corporativa
A Bosch considera a inteligência artificial uma tecnologia chave. Até 2025, o
objetivo é que todos os produtos Bosch contenham IA ou tenham sido
desenvolvidos ou fabricados com a sua ajuda. Para tal, a empresa está a investir
em talento, infraestruturas adequadas e a preparar as condições apropriadas.

Até ao final de 2021, a Bosch pretende formar 20.000 colaboradores em IA. Uma
das principais alavancas para isso acontecer é o seu centro de investigação e
desenvolvimento para a inteligência artificial, o BCAI. Apenas três anos após a
sua criação, o BCAI já recuperou o investimento inicial: a sua contribuição para
os resultados é agora de cerca de 300 milhões de euros. Sobre o objetivo da
Bosch, Bolle afirma: “investigamos e disponibilizamos uma IA que é segura,
robusta e explicável”.

A Bosch está principalmente interessada na IA industrial – por outras palavras, a ligação entre a inteligência artificial e o mundo físico. e tem excelentes perspetivas nesta área. “As nossas fábricas fabricam uma
grande variedade de produtos – desde frigoríficos e ferramentas elétricas, a
motores de força e sistema de assistência para a indústria automóvel, sem
esquecer a tecnologia de automação para utilização em unidades fabris.
Estamos neste momento a adicionar algoritmos de IA a esta experiência que já
temos”, reforça Bolle.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta