CulturaSlider

Novo concurso para concluir a requalificação do Esmoriztur

A Câmara Municipal de Ovar aprovou o auto de recepção definitiva, que confere posse administrativa da obra, e o acordo de revogação do contrato com a empresa com a qual tinha sido consignada a empreitada de requalificação do Esmoriztur.

O presidente da autarquia, Salvador Malheiro, informou que esta é a forma encontrada para resolver um “problema técnico grave, porque o empreiteiro abandonou os trabalhos por dificuldades financeiras, e vamos ter de lançar um novo concurso público. O Município admite que as obras até aqui realizadas foram bem feitas e agora os serviços vão inventariar o que falta de forma a lançar o concurso publico para a sua conclusão.
A decisão camarária foi aprovada com o voto favorável dos eleitos do PS. “Da nossa parte entendemos que este passo teria de ser dado e esperar que o custo da obra não derrape ainda mais”, refere o vereador socialista, Artur Duarte, numa alusão aos custos da obra que, para já, terão derrapado em cerca de 300.000 Euros”.

A principal sala de espectáculos do norte do município iniciou a referida empreitada de requalificação integral em junho de 2018, depois de ter sido adquirida pela Câmara de Ovar há cerca de 20 anos.
O investimento é totalmente municipal e cifrava-se inicialmente em 1,5 milhões de euros, com o objectivo de descentralizar a cultura, o que passará por envolver os agentes culturais de Esmoriz na programação regular desse espaço – sempre sob a coordenação da Câmara.

A empreitada do oficialmente designado Cineteatro de Esmoriz prevê intervenções na sua sala de espetáculos, de forma a permitir não apenas a exibição de cinema, a realização de concertos e a encenação de teatro, mas também a apresentação de conferências e outros eventos ajustados a um anfiteatro com capacidade para 500 pessoas. vamos aumentar a profundidade do palco, aumentar o ‘backstage’ e criar um acesso direito ao exterior para facilitar as cargas e descargas de adereços e material técnico”, realçou Salvador Malheiro.

As obras pretendem ainda melhorar as condições de outros espaços do edifício, como o gabinete administrativo, o posto de segurança, a sala de reuniões, o ‘foyer’, a cabina de projecção, os camarins e a cafetaria, sendo que na cave será criada uma outra sala para actividades culturais e de formação.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta