Opinião

O caso João Soares – Raul Almeida

Por favor, vamos parar com esta coisa do Ministro João Soares ser uma ameaça à paz e segurança! Não é sério vir dizer que tentou amordaçar a liberdade de opinião através de ameaças fisicas; se o quisesse fazer, não o escreveria nas redes sociais.

O problema de João Soares é a incontinência verbal, é não saber comportar-se como Ministro. O número infeliz com Fernando Lamas, os comentários condenáveis que fez foram uma amostra deste despotismo verbal.

Em 1993, Carlos Borrego, então Ministro do Ambiente de Cavaco Silva, e muito mais competente no Ambiente do que João Soares na Cultura, fez um comentário de muito mau gosto sobre as vitimas de contaminação de alumínio na hemodiálise. Na altura, Carlos Borrego não quereria desconsiderar as vítimas propriamente ditas, como Soares não quererá agora bater em ninguém.

Ainda assim, e porque o cargo de Ministro implica um determinado tipo de conduta, Carlos Borrego demitiu-se na sequência da piada infeliz, como Manuel Pinho se demitiria, ou seria demitido, anos mais tarde na sequência de um gesto impensado, como João Soares se deverá demitir já na sequência das afirmações imbecis a que não nos poupa.

Quem não tem capacidade para ter um comportamento digno de Ministro, não pode ser Ministro.

É só isto, e entra também no ridículo quem queira inventar mais do que isto.

Raul Almeida

Artigos relacionados

Deixe uma resposta