Opinião

O chefe secreto que todos conhecem – Henrique Gomes

Fala só o necessário, faz as perguntas certas- as respostas apalavradas são muitas vezes menos esclarecedoras do que alguns olhares. Mede o tempo que demora cada resposta a ser dada. Pondera.

A civilidade da sua apresentação aproxima-o dos míticos agentes secretos, mas todos o conhecem e respeitam. É um chefe que dispensa o uniforme- sabemos perfeitamente aquilo que este chefe representa. A autoridade por si emanada esvaziou a habitual importância da característica vestimenta.

Por opção, por perfil, por formação gosta de passar desapercebido, discreto. Importante, mesmo, é o fenómeno que não quer ver crescer. Ou antes quer ver crescer bem.

As crianças e os jovens em situação de risco são a sua grande preocupação. Astuto, de imediato percebeu que, o desinvestimento na educação dos jovens será pago mais tarde com altíssimos juros.
Estudioso e meticuloso, soube rodear-se de uma equipa interdisciplinar com objectivo de perceber o fenómeno, jovens em risco, na sua completa dimensão.

Nos casos assinalados, privilegiou sempre soluções de engajamento familiar em detrimento dos centros de acolhimento- pretende um modelo de sociedade centrípeto. Deve a comunidade acolher no seu meio estes casos que tendem a gravitar em órbitas mais afastadas. A melhor resposta é a familiar ou comunitária.
Ouvir, compreender, acompanhar, integrar mais do que penalizar. Marginalizar não é solução.

Fez perceber que direitos e deveres são realidades que deverão estar sempre presentes na vida de cada criança, coabitando.
A sociedade ovarense deverá louvar e enaltecer a qualidade do trabalho prestado à comunidade pela CPCJ e pelo seu líder que agora cessa funções- se institucionalmente vai ter de deixar de desempenhar algumas das funções, irá, com toda a certeza , continuar a acompanhar os casos assinalados e as crianças e jovens em risco.

Uma das formas de reconhecimento pelo trabalho feito pela CPCJ é participar ativamente nas iniciativas que esta instituição leva a efeito. Por exemplo, ver a exposição que está patente no Dolce Vita até final do mês.

Henrique Gomes

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo