Publicidade
CulturaPrimeira Vista

O contributo da Igreja Matriz de Cortegaça para a Arqueologia de Salvaguarda

Gabriel Pereira, arqueólogo que dirigiu os trabalhos de prospecção dos achados detectados durante a construção da Alameda do Padre Manuel Dias da Silva, na envolvente à Igreja Matriz de Cortegaça, confirma agora o que nos disse em 2018 quando visitamos a obra.

“No que concerne às sepulturas refira-se que consistem em covachos abertos diretamente no solo, sem qualquer elemento de delimitação física ou de identificação. De acordo com os materiais arqueológicos recolhidos, estes enterramentos terão sido praticados entre o primeiro quartel do século XVII e meados da centúria seguinte”. Saliente-se ainda, ao nível das práticas funerárias, que os “indivíduos seriam depositados envoltos em uma simples mortalha, facto que a ausência de restos de vestuário e de vestígios de madeira parece confirmar”.

Ler estudo completo aqui.

publicidade

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo