Opinião

O Presidente Sampaio e Eu (Na humildade do meu Eu) – Parte I

Breve relato de Episódios Presenciais com o Presidente Jorge Sampaio

Porque se trata de um acontecimento que, à posteriori, revela a faceta humana e afável do falecido Presidente da República JORGE SAMPAIO, permito-me dar público conhecimento da seguinte narrativa:

Por ocasião de uma campanha eleitoral, com passagem por Ovar cumprimentei, Jorge Sampaio, João Cravinho e o meu conhecido e muito bom Amigo José Fragateiro ( Pai ) que aguardavam pelo início de uma palestra que iria decorrer no velho e acanhado edifício do Ciclo Preparatório, localizado próximo do Hospital de Ovar. Observaram-se apenas os corteses cumprimentos de circunstância, mas perante a chuva que então caía e mais porque a hora para o início desse evento ainda tardava, as três Ilustres personagens chamaram-me para evitar a humidade e assistir aos diálogos que, se bem me recordo, versavam histórias dos tempos idos dos respectivos percursos políticos.

Chegada a hora da reunião, deslocamo-nos para a exígua sala do referido Ciclo e de onde no final da sessão saímos para uma passagem pela Praça do Município/Câmara, local onde se encontravam muitos apoiantes.

Após esse encontro, a próxima paragem seria em Estarreja, no Largo dos Combatentes da Grande Guerra.
A caravana avançou repentina e inopinadamente ficando alguns apoiantes presentes a dialogarem entre si. Um deles o engenheiro João Cravinho tinha-se dirigido ao Restaurante “Toca” para dar resposta a humanas e inadiáveis precisões, de modo que quando chegou à Praça já não se encontrava quem o havia até então transportado. De imediato, tendo-me reconhecido, perguntou se sabia ou conhecia alguém que fosse para Estarreja, tendo-o de pronto informado que o levava porque também iria para esse mesmo encontro em Estarreja, tendo portanto feito juntos essa viagem.

Depois destes acontecimentos e primeiro contacto, nunca mais nos voltamos a encontrar, a não ser à distância ou por intermédio do Partido a que ambos pertencemos.

Anos mais tarde porém, mais dois encontros iriam acontecer com Jorge Sampaio e os quais jamais esquecerei pelo surrealismo que representaram.

Assim, em determinada ocasião enderecei ao Presidente Sampaio documentação a expor determinado tema, de que resultou uma resposta afirmativa em aceitar um diálogo presencial aquando da sua próxima visita ao distrito de Aveiro a ocorrer no dia 24 de Janeiro de 2004, sendo uma 3ª. Feira. A visita presidencial iniciou-se pela COMUR – Murtosa (conhecida fábrica de conservas de peixe e a funcionar desde 1942), e que seria o local para mantermos o referido diálogo. O então administrador da COMUR, senhor Artur Marques tomou, por meu intermédio, conhecimento prévio de que iria suceder esse diálogo.
– Um dos assessores do Presidente JORGE SAMPAIO, e que tinha conduzido o dossier, sabia das razões do diálogo e perguntou ao referido Artur Marques se me conhecia e se eu tinha estado na recepção. A resposta foi pronta e afirmativa, informando-o que já me tinha convidado várias vezes para entrar e que eu tinha recusado, preferindo ficar da parte de fora daquela empresa, cumprimentando uma ou outra pessoa conhecida. Após o conhecimento da efectividade da minha presença, esse senhor Assessor solicitou ao Artur Marques, que me localizasse para me poder transmitir algo.

Manuel Júlio dos Santos (Almeida)
Válega, 10 de setembro de 2022, aniversário do falecimento de Jorge Sampaio

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo