Empresas

“O tecido empresarial foi atingido de uma forma dramática”

Ao fim de 12 anos como presidente, José Teixeira Valente foi substituído à frente da associação empresarial SEMA por Maribel Marques. A instituição, que actua nos concelhos de Estarreja, Albergaria-a-Velha, Murtosa, Sever do Vouga e Ovar e que comemora 25 anos em 2021, deu conta que a entrada da nova líder, assim co­mo de outros elementos para os seus órgãos sociais, representou “um refrescamento” da entidade que representa o tecido empresarial daqueles cin­co municípios da região.

Maribel Marques, da empre­sa Conceitotal, de Ovar, vai dirigir a instituição durante o triénio 2021-2023 e assume, em entrevista ao Diário de A­vei­ro, que irá dar continuidade ao trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos.

Olhando para a realidade das empresas, admite muitas dificuldades. “Uma grande par­te dos estabelecimentos comerciais e industriais não voltará a abrir as portas”, avisa. A célebre bazuca europeia, diz a dirigente, poderá constituir-se como “a tábua de salvação da maior parte das empresas que ainda se aguentam saudáveis”

Diário de Aveiro: Substitui José Teixeira Valente ao fim de 12 anos. Como vai ser a transição?
Maribel Marques: É uma transição de continuidade, consolidação e reforço das actividades já existentes na SEMA.

Toma posse em plena crise provocada pela pandemia. Como empresária, como tem vivido este último ano?
Quem é empresário sabe que nes­te país estamos sempre pron­tos para lutar contra as adversidades e problemas que surgem. No entanto, a pandemia foi e ainda é um fenómeno que não estávamos à espera que atingisse esta dimensão em termos mundiais. (…)

Ler artigo in Diário de Aveiro.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta