LocalSlider

“Obra para as pessoas caminharem, correrem e andarem de bicicleta”

É a crítica do momento a duas das obras promovidas recentemente pela Câmara Municipal de Ovar: As faixas de rodagem são muito estreitas. A recém requalificada Avenida do Emigrante (sentido Carregal/Furadouro) e a ainda em execução Avenida do Bom reitor em Ovar estão no lote das visadas.

Referindo-se à Avenida do Emigrante, o presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, não concorda com as críticas: “Aquela obra é espectacular para as pessoas caminharem, correrem e andarem de bicicleta”.

O autarca não tem dúvidas de que “o futuro é isto e nós estamos a pensar a cidade para o que vem aí: Passeios largos, promoção da mobilidade suave, dar importância e prioridade aos peões em detrimento dos veículos automóveis”. A alegada ausência de uma via para veículos prioritários não é uma questão: “No caso de haver alguma emergência, os veículos de socorro ou outros terão de invadir a zona pedonal ou ciclovia”.

“Pode custar um bocadinho, mas as pessoas vão perceber que esta é a melhor opção”, assegura Salvador Malheiro.

Outra questão que se tem visto colocada é de que a obra podia ter seguido o desenho da Avenida da Régua. O presidente vareiro explicou que no PEDU, havia três fases – Requalificação urbana, bairros sociais e a mobilidade suave. Na última, “a nossa aposta era a ciclovia Carregal/Murtosa”.

No entanto, desvenda que, “à medida que fomos avançando, a Infra-Estruturas de Portugal estava sempre a colocar entraves e problemas”. “O projecto ia e vinha e nunca mais era aceite e nós tínhamos até 2020 para o executar de modo a não perder financiamento. Para não perder os 600 mil euros, optei por avançar com ciclovias, a partir da estação e com esta obra da Avenida do Emigrante”.

Entretanto, a ciclovia de acesso ao centro comercial Dolce Vita também está concluída, anunciou recentemente.

 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta