LocalPrimeira Vista

Obra-prima de madeira a pedais

Ninguém diria que numa recôndita rua de Ovar nascem bicicletas de madeira feitas para proporcionar a melhor experiência a quem gosta de pedalar. Sendo o nosso Município, o titular do prémio da Mobilidade em Bicicleta 2014, não há desculpa para não o fazer.

É ali na rua Marechal Zagalo que fica a oficina da Mud Cycles e é lá que se vem desenrolando uma aventura que durou mais de um ano a desenvolver.

João Baptista, responsável da Mud Cycles, conta que, em primeiro lugar, teve de pensar no aspecto que queria imprimir à bicileta: “Para o ‘design’ da bicicleta e do respectivo quadro, inspirei-me nos triciclos de madeira que eram antigamente usados pelos miúdos”.

Nessa linha, a suspensão baseou-se num conceito de 1920 utilizado pelas primeiras motos do Século XX. O mesmo sucede com as mudanças.

“É evidente que tem componentes comuns a outras bicicletas”, mas é nos que foram por ele exclusivamente pensados  que tem mais orgulho.

A madeira utilizada na construção da bicicleta é o contraplacado marítimo de bétula. As tábuas chegam a Ovar, em bruto, e depois é nas oficinas Mud que são transformadas no quadro das bicicletas. João Baptista assegura que “as colagens efectuadas são extremamente resistentes,  não mexem e não cedem”.

Curioso também é verificar que na família nunca ninguém teve especial apetência para a carpintaria. “Mas gosto de tudo que tem a ver com a madeira”,  considerando-se um auto-didacta na matéria.

Mas há mais domínio de materiais na Mud: Os punhos também sou ali feitos, em cabedal, cortados e enrolados à mão. A bicicleta tem três velocidades e pedaleiras de madeira, “feitas também por nós”. Aliás, “o mecanismo das mudanças foi concebido com a ajuda do Paulo Pereira, um amigo que nos ajudou a resolver algumas questões”.

A Mud está dotada de suspensão e de um porta-luvas que parece ser de metal mas não é. Mas o facto de ser em madeira não a impede de ser extremamente confortável, mesmo quando anda em paralelo. Pai e filho lembram que convidaram, para a experimentar, “um indivíduo com 1,90 metros e 120 quilos de peso e ele andou na bicicleta sem problemas nenhuns e, no final, disse que era um espectáculo”. |

A propósito das rodas, que não são feitas na Mud, João desvenda outra das suas orientações a que não quis fugir. “Todos os componentes devem ser feitos em Portugal”. Assim, as rodas são da Rodi, marca de Aveiro, e as pedaleiras são da Miranda & Irmão, de Águeda. “Fiquei, recentemente, a saber que há uma bicicleta holandesa que também utiliza estas pedaleiras”.

Ora, se assim é e os europeus já aqui compram, “mau seria que eu, na minha bicicleta de madeira, não privilegiasse os componentes portugueses, comprovadamente, de excelente qualidade”.

João demorou mais de um ano a desenvolver todo o conceito e quando olha para trás, para os primeiros modelos, ainda pergunta “como é que foi possível mostrar isto a alguém?”.

Depois de ter trabalhado 17 anos numa firma de artes gráficas, quando dizia que estava a trabalhar num projecto novo, relacionado com uma bicicleta de madeira, as pessoas, por respeito, não diziam nada, mas ficavam com uma cara de quem estava a pensar que ele não estava bom da cabeça. João Baptista explica que a actual versão da bicicleta estreou a 10 de Agosto e, a partir daí, “tudo aconteceu muito depressa e até agora não temos tido mãos a medir” e as encomendas caem da Itália, Holanda e França, entre outros países.

A MUD Cycles, fundada em 2011, dedica a sua actividade à conservação, restauro e redesenho de bicicletas. A marca produz bicicletas clássicas que se destacam pelas suas formas e estética simples, a combinação de peças recuperadas com peças manufacturadas de raiz, origina modelos únicos, sem nunca perder o estilo vintage.

Assim, a marca pretende proporcionar uma ligação ao mundo das duas rodas através do minucioso restauro de bicicletas com passado bem como através da exploração de novos conceitos de mobilidade.

Além dos veículos de duas rodas, a MUD Cycles tem também toda uma linha de acessórios que complementam as suas bicicletas, estes produtos são manufacturados em Portugal e são tão diversos como punhos, pedais, malas, candeeiros, etc.

O cuidado com os materiais utilizados é extremo e desse modo, materiais como a madeira, a pele e a cortiça, estão presentes em quase todos os produtos.

Agora que cada vez mais cidades do mundo se preparam para optimizar e dinamizar o uso da bicicleta nos seus centros urbanos, a MUD Cycles quer afirmar-se no mercado nacional e internacional como produto português de qualidade.

O preço de uma MUD ronda os 2.000 euros, preço final de venda ao público.

Especificações:

Quadro – Contra-placado marítimo de bétula / carvalho
Suspensão Frente – Mola de torção
Manípulo de mudanças – Mud Cycles
Manetes de travão – Miranda
Mudanças – Shimano Nexus (3 velocidades)
Travões F/T – Shimano Rollerbrake
Pedais – Mud Cycles
Pedaleira – Miranda
Corrente – KMC
Selim – Brooks B67 / B67S
Espigão – Miranda
Cubos F/T – Shimano Nexus
Aros F/T – Rodi Web
Pneus – Schwalbe Fat Frank 26″

(Fotos: Mud)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo