Guerra da UcrâniaLocalPrimeira Vista

Ovar acolhe família refugiada ucraniana de braços abertos

São quatro mulheres e quase uma dezena de crianças. Maridos e pais ficaram na Ucrânia, para combater. Depois de uma longa viagem, chegaram ontem à noite e durante o dia de hoje a Ovar, são dos primeiros refugiados a chegar a Portugal e já estão instaladas em casa de familiares. “Estas pessoas têm familiares que vivem em Ovar há muitos anos e, numa ocasião destas, é lá que vão ficar”, explicou Adriana Maia, do grupo “Ovar, vamos ajudar” e uma das coordenadoras das operações de apoio à Ucrânia, em Ovar.

O grupo de voluntários reuniu mobiliário, roupa e alimentos para ajudar na recepção. A técnica social, entretanto, encontrou-se com elas no sentido de perceber as carências que precisavam de ser supridas de imediato e distribuiu um cabaz com muitos bens alimentares, fraldas, roupa, medicamentos, enfim, tudo o que é “importante nestes primeiros dias que também são de adaptação a uma nova realidade”.

A sua atenção e do grupo está agora virada para o camião que parte de Ovar, em direcção à Polónia com a ajuda vareira às vítimas inocente da guerra provocada pela Rússia.

Foi comovente ver a adesão de toda a sociedade a esta iniciativa que em pouco tempo se encheu de alimentos, roupas e medicamentos. “As pessoas de Ovar foram excepcionalmente solidárias e temos tantas ajudas que algumas paletes terão de ficar para viajarem num segundo transporte”, adiantou Adriana Maia.

O camião da empresa Transportes David Neto (TDN) vai entregar os donativos angariados a um grupo amigo idêntico ao constituído em Ovar, na Polónia, que tem os seus canais próprios de os fazer chegar à Ucrânia. “Estamos a dar prioridade a medicamentos, alimentos, papas, enlatados, produtos de higiene, álcool, enfim, coisas que são essenciais e estão a começar a faltar”, adiantou.

O camião de 24 toneladas da TDN parte esta segunda-feira (já traz 2 toneladas de alimentos recolhidos na Zona Industrial de Esmoriz) e vai acabar de encher nos quartéis de Ovar e Esmoriz.

Impõe-se ainda o agradecimento a pessoas, empresas dos mais diversos setores e instituições que aderiram à iniciativa, seja com donativos, seja com apoio logístico a toda a operação. Adriana Maia agradece ao povo vareiro a onda de generosidade excepcional, em suma, “agradecemos a mobilização de toda a gente, incluindo os Bombeiros Voluntários Ovar e Esmoriz cuja colaboração foi essencial”.

A viagem é suportada em 50% pelos Transportes David Neto, de Esmoriz, e o restante pelas juntas de freguesia do concelho de Ovar.

#ovarvamosajudar #helpucrania

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo