CulturaSlider

Paula Costa: “Nunca deixem de acreditar!”

Primeiro volume do livro "Eu Ainda Acredito" em lançamento

Paula Costa, 41 anos, é uma apaixonada pela escrita e apresenta esta tarde, o primeiro volume do livro “Eu Ainda Acredito”, na Escola de Artes e Ofícios, em Ovar. Tirou o curso de Técnico de Contabilidade, mas na verdade a sua paixão é a escrita e hoje realiza um sonho com o lançamento da sua primeira obra.

Quando é que começou a escrever?
Desde muito cedo que me apaixonei pela leitura e pela escrita, mas nunca antes tive
coragem de partilhar os meus “rascunhos” com ninguém, até que, em 2019, surgiu um
“intruso” no país e no mundo ao qual deram o nome de COVID-19.

Até que ponto a pandemia a influenciou?
Este ceifador cruel de vidas, aterrorizou o mundo inteiro, deixou famílias despedaçadas, crianças órfãs, dor e sofrimento pairaram no ar como uma neblina assustadora. Apesar de termos vivido momentos aterradores, vivenciar tudo isto, fez-me repensar na vida, nas prioridades, nos sonhos adiados, no medo de me expor, de partilhar as palavras que só partilhava com o papel, era o meu único confidente, era apenas ele o privilegiado de ler os meus pensamentos, de sentir os meus sentimentos, de viver todas as emoções que eu vivia, de ser meu o meu público.

Quando se deu, verdadeiramente, o clique?
Um dia, ao ver no Facebook uma mensagem na qual convidava todos aqueles que
escreviam poesia a participar numa coletânea poética, fez-me pensar e foi nesse mesmo momento que me questionei: “Porque não? O que tens a perder? Um dia tens de
mostrar aquilo que escreves, é a tua oportunidade!” Nesse momento, após o meu inconsciente me ter questionado, decidi abrir aquela mensagem, li e reli vezes sem conta, até que, por fim, decidi enviar a minha participação, a minha primeira participação, a primeira vez que alguém iria ler o que escrevo.

O que sentiu então?
Para ser sincera, fiquei aterroriza, tinha medo do que viria depois. E se não gostassem? E se fossem cruéis?… Mas, apesar de todos os meus medos e inseguranças, decidi arriscar um pouco mais, comecei a fazer parte de grupos de poesia, onde podia partilhar os meus escritos, era sobretudo poesia, sentimentos descritos, momentos vividos, pensamentos dispersos, devaneios…

Como foi o “feedback”?
Apesar de todos os meus receios, quando comecei a receber o feedback, foi
simplesmente incrível! As mensagens que outros colegas autores me deixavam eram
extraordinárias, recebi o feedback de vários autores espalhados pelo país e pelo mundo, Brasil, Argentina, Paraguai, Suíça, USA…

Não estava à espera…
Nunca pensei que iria abranger um núcleo tão vasto de pessoas! Dentro do meu peito
crescia toda uma panóplia de sentimentos, não tinha palavras para descrever o que
estava a sentir, era simplesmente maravilhoso. A partir daquele momento, continuei a participar em coletâneas e antologias literárias de poesia, assim como continuei a publicar nos grupos dos quais fazia parte.

Como surgiu o livro “Eu Ainda Acredito”?
Um dia, o meu caminho cruzou-se com o de uma autora, da qual já tinha lido um livro, que por acaso tinha sido o seu primeiro romance. Em conversa ela questionou-me: “Porquê poesia? Porque não escreves um romance?”
Confesso que fiquei confusa, eu só escrevia poesia, era o que me dava prazer fazer, mas aquelas palavras ecoavam na minha cabeça como uma voz que não se quer calar, levando-me a pensar seriamente em fazê-lo. Um dia sentei-me em frente ao computador abri o Word e comecei a escrever, estava tão empolgada que nem dei conta de o tempo passar. Quando dei por mim, tinha escrito 30 páginas, dei comigo a pensar em voz alta: “Afinal não é nenhum bicho de sete cabeças, vamos ver o que dá.” E foi assim que nasceu o meu primeiro livro, Eu Ainda Acredito I o despertar”! Este livro é um pouco de mim, da minha história. Pode ser também um pouco de ti, da tua história. Eu escrevi este livro com o coração, entreguei a minha alma, em cada palavra nele descrita, em cada emoção nele vivida, chorei, ri, e sofri cada palavra”.

O que espera que o livro transmita a quem o ler?
A quem o ler, espero que consiga vivenciar tudo o que este livro descreve, mas, acima de tudo, nunca deixem de acreditar!
A vida é um sopro, vive intensamente cada momento como se o amanhã não viesse, porque, o hoje é certo, o amanhã, quem sabe se virá! Vive o Agora, escreve a tua história, cria memórias, mas nunca deixes de acreditar, porque eu ainda acredito!

Um romance baseado numa história verídica, quando tudo parece perdido uma nova força faz- te voltar a acreditar. Um livro que retrata a história de uma pequena princesa obrigada a crescer rápido demais, rebelde e incompreendida, com uma enorme vontade de viver e uma força atroz de triunfar, sem medo de lutar pelo que acredita, sem medo de perder, luta para vencer. Torna-se numa jovem guerreira, que vai descobrir o amor. Não será fácil, pois a vida irá colocá-la novamente á prova!

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo