ComunicadosPolítica

PCP solidário com protesto dos pescadores em Esmoriz

Dois anos depois, o Governo PS ainda não cumpriu o que prometeu aos pescadores da majoeira.
Em outubro de 2020, inesperadamente, os pescadores de Ovar foram confrontados com o aumento desmedido da licença para pesca da majoeira, prática que exercem no período do Outono/Inverno para garantir rendimentos em época que estão impossibilitados de recorrer a outros métodos de pesca para satisfazer as suas necessidades elementares.
Há dois anos estes pescadores foram informados que o montante das licenças para a pesca com majoeira ascenderia ao valor de 73,82 Euros, longe dos habituais 9,98 Euros, portanto mais 63,84 Euros do que o valor tributado em anos anteriores.
Também em 2020, esta e outras preocupações dirigiram uma delegação do PCP acompanhada pelo deputado na Assembleia da República do PCP na época, António Filipe, a Esmoriz que de imediato questionou o Governo PS, o qual admitiu ter cometido um lapso, comprometendo-se a contactar os pescadores e a devolver o valor pago em excesso.

Mais de dois anos depois a situação ainda não foi regularizada, o que levou os pescadores da majoeira, juntos com o Sindicato dos Trabalhadores da Pesca do Norte a promoverem uma ação de denúncia em Esmoriz.

Como sempre, em momentos difíceis, o PCP fez questão de marcar presença e manifestar a sua total solidariedade aos pescadores lesados por este “lapso” do Governo PS, assegurando que continuará a dar voz às suas justas reivindicações através das suas plataformas de comunicação, assim como através da sua representação institucional, nomeadamente na Assembleia da República e Assembleia Municipal.

Esta e outras reivindicações, como são o caso: i) da igualdade no apoio à gasolina, ii) da gestão dos dias de pesca com majoeira e iii) da igualdade de atribuição do número de licenças de pesca da majoeira aos pescadores, são e serão alvo da maior atenção pelo PCP.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo