CulturaPrimeira Vista

Pinceladas de poesia de Adiasmachado e Arnaldo Macedo

A dupla Adiasmachado e Arnaldo Macedo, pintores que habitualmente reúnem as suas obras num colectivo sob o mesmo título, tem desde 5 de Dezembro, no Museu de Ovar a exposição “A sombra dos espelhos”.

Manuel Cleto, diretor do Museu de Ovar, conclui a agenda de exposições do ano de 2015 e exortou á contemplação das pinturas, que não sendo de Ovar, para si “já são da casa”.

É assumida a influência de Salvador Dali e de Mário Cesariny na pintura do autodidata, natural de Caldas de Vizela, Armando Macedo. Adiasmachado, nascido no Minho, apresenta-se com uma linguagem figurativa com um sentido poder poético sempre acompanhado de mensagens.

Em vez de palavras de circunstância tão usuais, muitas vezes proferidas pelos representantes dos poderes públicos da terra, quando marcam presença em tais momentos culturais, os autores das obras expostas preferiram deixar palavras poéticas.

Arnaldo Macedo diz: “Neste Mundo todos querem ser Grandes, Importantes… vivem rodeados de ruído, mas são Surdos…” e acrescenta, “Eu nem tão pouco a Felicidade, pois esta pode levar-me à Escuridão. Eu procuro apenas deixar Pouco do que tenho para Dar, que são apenas umas simples Maçãs impensamentalmente…”. Uma peça de fruta apetitosa presente em cada quadro da sua obra exposta, que o pintor reafirma: “Quero-te aqui só com o interior da maçã que existe em ti…”.

Enquanto na sala ao lado, por entre a harmonia das cores e beleza estética da obra de Adiasmachado, este pintor assume-se como, “…sou um poeta inacabado a começar a vida do nada”, dando assim largas à sua criatividade com palavras que também acompanham cada quadro. “Como ser mortal dentro de um corpo a caminhar” são alguns dos seus poemas que convidam a uma demorada viagem por esta exposição, “A sombra dos espelhos” no Museu de Ovar. ”
Até 2 de Janeiro no Museu de Ovar.

JL

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo