CulturaSlider

“Porto visto por Júlio Capela” no Museu

Foi inaugurada no dia 7 de junho no Museu de Ovar, a exposição de pintura, “O Porto visto por Júlio Capela” que pode ser vista até 12 de julho na sala dos Fundadores.

Júlio Capela, licenciado em pintura pela Faculdade de Belas Artes do Porto, tem desenvolvido a sua atividade artística nas áreas de Pintura e Desenho a par da docência no Ensino Artístico em Viana do Castelo. Incluiu agora o Museu de Ovar na já longa lista de cidades em que tem exposto individualmente desde 1972 a par das mais de sessenta exposições coletivas em que tem participado no país e no estrangeiro.

O artista, convidado pelo Diretor do Museu de Ovar, Manuel Cleto, a falar aos presentes sobre as obras exposta, deixou algumas dicas sobre as suas técnicas de trabalho, reafirmando que as paisagens sobre o Porto, pintadas em acrílico ou serigrafias, não são resultado de captação fotográfica, porque como disse, “para isso tirava fotografias”.

Referindo-se também a um conjunto de outras obras que integram o certame, como “pequenos apontamentos e estudos da figura humana sobre as invasões francesas”, Júlio Capela adiantou tratar-se da forma como trabalha, em que destes pequenos quadros a que chama “estudos”, depois amplia para quadros de maior dimensão.

As obras de arte, que mostram “Cúpulas do Porto”, a “Ribeira”, o “Casario do Porto” ou “Porto Antigo”, sem esquecer as paisagens e suas “escarpas” ligadas por pontes entre Gaia e o Porto, são o resultado da pintura de paisagem urbana de Júlio Capela, que nos dão oportunidade de contemplar o Porto visto por si, aplicando técnicas modernas de forma e cor, e que nas palavras de José Fragateiro, presidente da Assembleia de Freguesia da União das Freguesias de Arada, S. João, Ovar e S. Vicente de Pereira, “percorrer a exposição é como viajar pelas paisagens do Porto”.

Assumindo-se apreciador da obra de Júlio Capela, o vereador da cultura Alexandre Rosa, realçou a geometria e o figurativo das obras que o artista trouxe a Ovar num fim de semana de muitas iniciativas culturais como lembrou o autarca, para justificar a dispersão de público pela cidade, a exemplo da Feira do Pão de Ló ali mesmo ao lado, que foi seguidamente visitada pelos convidados presentes. Ao trabalho desenvolvido pelo Museu de Ovar e pelo seu Diretor, Rosas deixou palavras de reconhecimento e disponibilidade de apoio.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta