Opinião

Portugal a Crescer – Sérgio Chaves

Frase repetida por quem ela mais interessa, em contos com muitos “ses”, muitas virgulas e números infinitesimais e  para quem o país está melhor (a representação dele possivelmente), país esse sem gente lá dentro, pois reconhecem que a vida das pessoas tem sido de sacrifícios.

Outro crescimento que tem sido relevado ultimamente refere-se à fronteira marítima do país. O slogan do cartaz é “Portugal é Mar”. É água para o ocidente, pela terra dentro, devastando o litoral e água em quase toda a parte metida pelos políticos.

A ilustração que apresento em anexo da cerimónia desafia-me a imaginar algo um pouco diferente, em que o Sr. Aníbal explicava que só, após a recente visita às Berlengas, tomou alguma consciência que o mar e as suas potencialidades são imensas, mostrando-se um pouco arrependido de enquanto Primeiro-Ministro ter sido um impulsionador do abate de quase toda a nossa frota pesqueira (e já agora do desmantelamento da agricultura).

Mas ele está satisfeito, pois como a área total do país está em vias de aumentar uns bons km2, o Eurostat e a Comissão Europeia, a bem do rigor e da verdade, permitem calcular o índice de kms de auto-estradas per capita utilizando a superfície terrestre e marítima (tal como permitem a instrumentalização das dívidas através de swaps ou a exclusão de certas dívidas de organismos mascarados que são dependentes dos Estados).

O Sr. Aníbal e a Dª Maria exultam, pois o Sr. Aníbal acreditou anos a fio que o betão e o asfalto eram a solução para todos os problemas. Recentemente, com a proliferação de inúmeras SCUT’s, esse índice que colocava Portugal na média europeia e traduzia, de certa forma, alguma equidade em relação à UE, alterou-se tão desmesuradamente que passou a fazer corar de vergonha e a servir claramente de farol indiciador de corrupção e falta de estratégia e visão.

A presença do Ministro da Educação (ainda que com gravata vermelha de alerta, ao contrário dos acessórios azuis airosos dos restantes) terá sido para combinar com Sr. Aníbal como é que tudo isto vai ser explicado às crianças nas nossas escolas! Dado o optimismo da Srª Ministra do Mar e da Lavoura, parece-nos que tudo mais uma vez vai correr e acabar bem…

Penso que foi uma falha grave não ter sido convidado o Ministro ou Secretário de Estado dos Transportes e Comunicações. Como este país, que estava em vias de concluir a terceira ligação de 300 kms entre as duas principais cidades, vai agora ter também um serviço diário pela Ryanair que ligará Lisboa ao Porto, talvez fosse interessante que esta companhia pudesse utilizar as infra-estruturas existentes. Assim podia anunciar que o avião precedente do Porto CREP com destino a Lisboa A8, efectuava paragens em São João da Madeira (sob a A32), na Figueira da Foz (sob a A17) e na Ericeira (sob a A21), passando todas as estas a vias mistas de tráfego.

Há tanta coisa a fazer, mas será que ainda vamos a tempo (com essa gente) de fazer alguma coisa?

Sérgio Chaves
* Autor não aderiu ao novo acordo ortográfico

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo