CarnavalSlider

Projecto de apoio à Aldeia do Carnaval passa à fase seguinte

Um grupo de foliões do Carnaval apresentou, esta terça-feira, no âmbito do Orçamento Participativo 2015/16, um projecto para colmatar uma das lacunas da Aldeia de Carnaval que acabou por ser um dos quatro mais votados da sessão.

“O projecto visa a construção de um pavilhão de apoio à Aldeia, na Zona Industrial, num lote camarário próximo, para que todos possam efectuar as pinturas das suas alegorias”, anunciou Alexandra Sá, que apresentou a ideia na extensão de Ovar da União de Freguesias, garantindo que “este pavilhão cumprirá os requisitos legais no que concerne a pintura, tendo 4 grandes zonas de pintura, com sistema de exaustão e estufa”.

O orçamento deste pavilhão (sem o terreno) ronda os 49.000 euros, apelando Alexandra Sá para a mobilização de todos os foliões e familiares para votarem até Setembro neste projecto.

Numa sessão bastante participada na freguesia de Ovar foram apresentadas ainda as seguintes propostas: Plataforma para o Sucesso, por José Carlos Matos, no valor de 20 mil euros; Atelier/Espaço Cultural, por Xavier Paes, no valor de 8.500 euros; e  Exposição/Museu de Arte Xávega (Itinerante), por Márcio Oliveira, no valor de até 50 mil euros.

As quatro propostas foram admitidas pela Mesa de Consenso, composta pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Ovar, Domingos Silva, o presidente da União de Freguesias, Bruno Oliveira, e a chefe da Divisão Financeira da autarquia, Zulmira Rodrigues, passando para a votação pelos cidadãos recenseados no município de Ovar presentes na sessão. Com 15 e 12 votos respectivamente, passaram para a fase de análise pela Comissão Técnica, as propostas Armazém de Pinturas para Alegorias do Carnaval e Exposição/Museu de Arte Xávega (Itinerante).

Neste processo do orçamento participativo, as propostas são apresentadas nas diferentes 8 sessões e da totalidade das propostas apresentadas nessa sessão, apenas passam para votação final as duas(2) propostas mais votadas pelos presentes na sessão.

Depois as 16 propostas eleitas (2 por cada uma das 8 sessões) irão a votação em todo o Município. Este ano, apenas poderão apresentar propostas e votar as pessoas que estejam inscritas nos cadernos eleitorais do concelho.
Contrariamente ao ano passado, este ano serão efectuadas as duas propostas mais votadas no final com um valor máximo de 50.000 euros cada proposta.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo