LocalSlider

Projecto turístico para a Quinta Colares Pinto ainda pode ser recuperado

O presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, pretende recuperar o projecto da “Zona Turística do Carregal – Quinta de Colares Pinto”, promovido pela Riaovar – Empreendimentos Turísticos e Imobiliários, S.A., e chumbado em 2007 pelo Ministério do Ambiente.

O autarca, que quer fazer do turismo uma forte aposta para o Município, disse, recentemente, durante a inauguração de um outro empreendimento turístico na Moita, que estão em marcha negociações com os promotores e, para já, “a vontade deles em avançar permanece intacta”.

Em 2007, recorde-se, o ministério do Ambiente chumbou a construção do referido complexo turístico a instalar a sul da praia do Furadouro, em Ovar, com o argumento de que a zona será afectada pela erosão costeira num prazo de 130 anos. Um argumento que deixou, na altura, os responsáveis da câmara de Ovar “de boca aberta”.

Salvador Malheiro adiantou que, possivelmente “será preciso proceder a alguns ajustamentos ao projecto inicial”, mas mostrou-se bastante optimista com a reapreciação do projecto.

O projecto original, avaliado em vários milhões de euros, consistia num empreendimento turístico, englobando um hotel e equipamentos complementares, como uma Aldeia do Golfe e um campo de golfe de 18 buracos com o respectivo equipamento de apoio. O campo de golfe seria composto pela zona de jogo propriamente dita (18 buracos) e respectivas zonas de treino, numa área aproximada de 63 hectares.

Dentro da área do campo de golfe seriam criados lagos, com o objectivo de funcionar como reservatórios de água para rega. O hotel, classificado de 4 estrelas, teria uma capacidade para 200 camas, destinava-se a turismo, congressos estágios desportivos, estando equipado com recepção, quartos, salas para congressos, serviços, comércio, ginásio, piscina, “health-club”, restaurantes, piano-bar e estacionamento interior em cave (140 lugares).

A Aldeia do Golfe seria constituída por 45 moradias, prevendo-se, na altura, uma população residente entre 180 a 200 habitantes.
Os promotores do projecto queriam manter arbustos, árvores e a envolvente em relva com o objectivo da sua integração na paisagem existente.

O projecto, localizado entre o canal de Ovar da Ria, a EN 327 e a praia do Furadouro, resultado da evolução de diferentes projectos de empreendimentos turísticos efectuados para o local desde 1967, pode estar prestes a receber um impulso inesperado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta