LocalSlider

Proposta de requalificação da EN109 é “indecente”

A Câmara Municipal de Ovar tem vindo a reivindicar junto da Administração das Infraestruturas de Portugal (IP) a reabilitação da EN109 entre Avanca, no concelho de Estarreja, e Paramos, em Espinho.

Numa decisão que data já de 2016, o executivo municipal aprovou também a construção de variante de ligação à A29, no nó de Maceda, como forma de “descongestionar o tráfego que se faz sentir diariamente em todas as freguesias a Norte do concelho”.

O presidente da autarquia, Salvador Malheiro, já tinha feito sentir junto do Governo essa necessidade “dado o volume de trânsito e o estado da via que coloca em risco a segurança das pessoas residentes e que aqui circulam diariamente, uma vez que é uma das principais vias urbanas do concelho”.

Numa informação entretanto recebida, o autarca ficou a saber que a beneficiação da EN109, entre o km 18.400 e o km 40.200 programada para 2017 e sucessivamente adiada teria de contar com a comparticipação financeira do Município.

“A EN109 não é da nossa competência e já demonstrei desagrado pela proposta indecente que a IP apresentou ao Município de Ovar para realizar a obra”, revelou Salvador Malheiro.

Conforme adiantou na última reunião da Assembleia Municipal, a IP fez chegar um projecto de requalificação deste troço da EN109, na ordem dos 7 ou 8 milhões de Euros, disponibilizando-se para comparticipar no valor de aproximadamente um milhão de euros”.

O presidente do Município vareiro considera a proposta, “no mínimo, indecente”, mas promete :continuar a reivindicar e a pressionar porque a competência de intervenção na EN109 não é da Câmara Municipal de Ovar”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo