Política

PS: Vereadores consideram orçamento “desequilibrado no investimento nas freguesias”

Os vereadores do PS da Câmara Municipal de Ovar votaram contra o Orçamento apresentado pelo executivo liderado por Salvador Malheiro, que prevê mais de 33 milhões de Euros, por considerarem que o documento “não promove a coesão social, é desequilibrado no investimento nas freguesias, não prioriza o apoio às entidades culturais do concelho e é pouco ambicioso relativamente às necessidades de investimento produtivo necessário ao desenvolvimento económico do concelho”.

Entre as obras que merecem o aplauso de Vitor Amaral e Artur Duarte estão a construção do Ecocentro – centro de recolha de resíduos, a requalificação do Esmoriztur e do Centro Cívico de Arada, o início da reabilitação do Bairro do SAAL, em Cortegaça, a reabilitação da escola do Furadouro e da escola secundária Júlio Dinis, o incremento acentuado no apoio às comissões de festas e ao associativismo que, no caso do desporto, chega aos 80%, e o aumento no valor das transferências para as Juntas de Freguesia.

Por outro lado, os socialistas gostariam de ver realizadas obras no interior do edifício dos Paços de Concelho, “onde as condições de trabalho são, em alguns casos, inaceitáveis, assim como no edifício da Biblioteca Municipal”, mas tal não está contemplado. “Mais de 30% do orçamento imputa-se a despesas com pessoal, o que parece exagerado tendo em conta o valor que é gasto com pessoal em regime de tarefa ou avença e pessoal ou em qualquer outra situação”, criticam.
Da apreciação que fizeram, eleitos socialistas lamentam o “desinvestimento na União de Freguesias de Ovar e na freguesia de Válega, no que se refere a obras municipais ou noutros investimentos”.

Patente no Orçamento de 33.805.654 de Euros, parece ser o “desinvestimento na área cultural e a continuação de uma política errada de animação de praia, sem aproveitamento dos recursos que temos com o brilhante trabalho que as nossas associações realizam e que poderiam concretizar através de um contrato-programa específico para este fim”.

A não previsão de obras importantes e prometidas no programa eleitoral também motiva interrogações por parte da oposição, “algumas já prometidas em 2013, como a requalificação do centro urbano da Vila de Válega; requalificação da Rua do Corga do Norte; construção de parques de estacionamento junto às estações de caminho de ferro de Esmoriz e Ovar; iluminação da Rua para a Praia de S. Pedro, em Maceda; requalificação da Praia do Torrão de Lameiro, com a construção de parque de estacionamento e apoio de praia, entre outras.”

Artigos relacionados

Deixe uma resposta