Política

PSD: Como as “internas” estão a dividir a concelhia

Num encontro na passada terça-feira com militantes na praia de Esmoriz, no Palheiro Velho, Luís Montenegro teve o único momento de encontro com os militantes vareiros.

O candidato às eleições internas do próximo sábado, defendeu que “é tempo de o eleitorado perceber que “não é preciso Portugal estar na bancarrota para o PSD ter um primeiro-ministro”, até porque esse partido “é o único capaz de fazer as reformas de que o país precisa e que António Costa não tem coragem de fazer”.

Dias antes, Moreira da Silva tinha estado no auditório do Orfeão de Ovar a explicar aos “laranjas” locais porque devem confinar nele para suceder a Rui Rio.

Mas estas eleições encerram mais significado do que parece à primeira vista. Depois de “empurrar” Montenegro, Salvador Malheiro ficou sem margem para apoiar publicamente o amigo Moreira da Silva. Vai daí, anunciou que não ia apoiar ninguém.

Mas o seu vice e presidente da concelhia, Domingos Silva, embora mantenha equidistância, apoia Luís Montenegro, o mesmo se podendo dizer da restante vereação e da JSD.

E aqui, o apoio a Luís Montenegro pode ser um sintoma do que se quer no futuro nos Paços do Concelho. A deputada Carla Madureira, Sérgio Vicente, presidente da JF de Cortegaça, e Miguel Silva, presidente da junta de Maceda e eleito na distrital do PSD, também estão nesse rol. Ambos os autarcas estão no limite de mandato e, pelo menos, o cortegacense, espreita a possibilidade de ser o próximo candidato social-democrata à Câmara Municipal, onde poderá ter de se degladiar com Domingos Silva cuja sonho de ascender à presidência nunca foi segredo.

A Lista A, de Delegados, é única mas tem as suas opções bem vincadas:
1. Salvador Malheiro (MS)
2. Domingos Silva (LM)
3. Sérgio Vicente (LM)
4. Carla Mesquita (MS)
5. Tiago Palhas (MS)
6. Carla Madureira (LM)

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo