LocalPrimeira Vista

Rombo da defesa aderente sem resposta do Governo

A defesa aderente da praia do Furadouro tem um novo rombo, descoberto a partir de um registo fotográfico de drone.

Localizado a sul da praia, o “buraco”  está a preocupar as gentes do Furadouro, pois é “sob os pés de quem escolhe o local para passeios à beira-mar e se acontece uma desgraça vamos voltar a ser falados por maus motivos”.

Para a Câmara Municipal de Ovar, a situção não é novidade, porque “fazemos uma monitorização diária da situação e reportamos à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) tudo o que acontece”, disse Domingos Silva, vice-presidente da Câmara Municipal.

Questionado na última Assembleia Municipal, o autarca informou que já enviou “uma mensagem ao vice-presidente da APA, que tem mostrado muito interesse no problema de Ovar, recordando-lhe que, em dezembro, reunimos e que ele se prontitificou a fazer uma intervenção rápida e urgente na nossa costa”.

“Era tão urgente que até agora nada fez. A APA sabe do que se passa e nada fez”, reforçou.

Na mensagem enviada a Pimenta Machado, Domingos Silva disse mesmo “esperar que amanhã não estejamos aqui a empurrar as culpas uns para os outros, porque este inverno foi passado sem grandes preocupações, mas nada nos garante que o próximo seja assim e não se repita o que se passou em 2014”.

Entretanto, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) do projecto dos quebra-mares está em fase de conclusão, desconhecendo-se se o novo ministro do ambiente tem entusiasmo por esta solução técnica.

 

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo