CulturaSlider

Saia de casa e entre na “Festa”

Música já anda na rua e vai tomar conta do Parque Urbano

[themoneytizer id=”16574-1″]

 

Se quer Festa tem que se apressar porque em Ovar já começou, é só um dia e é focada na música lusófona. Com entrada livre, decorre no parque da cidade.

O FESTA foi lançado em 2014 com a duração de dois dias e alargado a três em 2016 e 2017, mas este ano o evento passa assim a concentrar-se numa data só, propondo entre as 9h e as 2h00 de hoje a actuação de quatro bandas de animação itinerante e ainda seis concertos em palco por artistas de cinco países, entre os quais Bonga, Liniker e os Caramelows, Sopa de Pedra e Momo.

O cartaz deixou assim cair o teatro de rua e as instalações artísticas, o que, segundo Fátima Alçada, programadora cultural na autarquia, visa adequar o Festa de 2018 às condições físicas do Parque Urbano de Ovar, “que é um espaço muito interessante mesmo no centro da cidade e ainda não viu devidamente testado todo o seu potencial”.

“Este Festa é para divulgar o parque, que é muito grande e bastante apetecível, mas nunca recebeu nenhum evento deste género e pode ser utilizado para novas acções, sem se restringir apenas a caminhadas e passeios de bicicleta”, disse à agência Lusa.

“Instalamos cinco palcos, um deles mesmo em cima do rio Cáster e os outros em locais com muita inclinação natural, o que vai garantir boa visibilidade a todos os públicos”, explicou.

A programação arrancou pelas 9h00 com actuações de vários músicos no centro de Ovar, num registo de animação deambulante que estará a cargo da Banda às Riscas, da Banda Boa União, da Banda Plástica de Barcelos (na foto) e da Banda Original Bandalheira.

Segue-se, ao início da tarde, uma oficina de baterias para o público infantojuvenil, o espectáculo musical para famílias “Galo Gordo” e a abertura de um mercado de discos em vinil, após o que os principais concertos arrancam pelas 17h00, apresentando artistas cuja escolha privilegiou a música do mundo, em particular a dos países de Língua Portuguesa.

Esse cartaz arranca com o brasileiro Momo, em cujo registo se reflectem os vários locais onde o artista já viveu, e prossegue depois com o grupo vocal feminino Sopa de Pedra, que, “a capella”, apresentará canções de raiz tradicional portuguesa.

Além da banda IMOXI, em que Paulo Flores e Manecas Costa exploram sonoridades do gumbé guineense e do semba angolano, pelo Parque Urbano de Ovar vão passar ainda os irreverentes brasileiros Liniker, acompanhados pelos Caramelows.

Últimos concertos do Festa: Bonga, que a organização anuncia como “o rei da noite e do semba”, e Celeste Mariposa, com um “afro-baile que proporcionará uma viagem no tempo desde as bases do funaná instrumental até ao áspero merengue angolano”, passando pelo gumbé da Guiné-Bissau, pelo socopé de São Tomé e Príncipe, e pela marrabenta moçambicana.

Fátima Alçada realçou que o cartaz do Festa de 2018 foi definido enquanto “experiência nova, para testar o parque da cidade e apresentar projectos musicais que fazem muito sentido na actualidade”.

A programadora da Câmara de Ovar confia, por isso, que o cartaz vai agradar ao público “mais interessado, que gosta de descobrir coisas novas”, e concluiu: “As expectativas são iguais. Só o figurino é que diferente”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta