Empresas

Saiba como criar um orçamento familiar para controlar as despesas lá de casa

Se o seu dinheiro insiste em esgotar-se antes do final do mês, é sinal de que está na hora de rever as suas contas e preparar um orçamento mensal, ferramenta que o vai ajudar a ter uma visão geral sobre as suas despesas e a poupar no final do mês.

Ainda que o seu rendimento seja baixo, a elaboração de um orçamento mensal reveste-se de grande importância porque irá racionalizar a forma como utiliza o seu dinheiro e fazê-lo perceber fontes de despesa que nem tinha perceção que existiam.

Genericamente, um orçamento mensal é composto pelas receitas do mês (variáveis e/ou fixas) e pelas despesas (variáveis e fixas) e é uma das melhores formas de, como referimos, não só racionalizar o uso do seu dinheiro, como ajudá-lo a precaver-se para qualquer imprevisto que possa surgir.

Vejamos, então, como criar o seu orçamento mensal:

Criar um orçamento mensal

1.    Fontes de Rendimento

O primeiro passo a dar para elaborar um orçamento mensal é identificar as suas fontes de rendimento (fixas ou variáveis).

Por exemplo:

 Receitas fixas:750,00€

 Receitas variáveis: 145,00€

Total: 890,00€

Ainda que as receitas variáveis possam ser mais difíceis de identificar, uma simples estimativa ou média poderá dar-lhe um valor relativamente fiável.

2.    Despesas Fixas

Após a identificação das receitas, deve fazer o mesmo para as suas despesas fixas. Neste item cabem aquelas despesas que se repetem todos os meses, como as contas de eletricidade, gás ou Internet.

Por exemplo:

Eletricidade: 65,00€

Gás: 30,00€

Água: 20,00€

TV&Internet: 60,00€

Crédito habitação: 212,00€

Condomínio: 30,00€

Ginásio: 40,00€

Total: 457,00€

Ainda neste âmbito, e no que se refere às despesas de TV e Internet, poderá simular na página da ANACOM por forma a encontrar a solução mais ajustada às suas necessidades e de certa forma tentar reduzir o valor do seu plano.

 

1.    Despesas Variáveis

Após a listagem das suas despesas fixas, some à tabela as suas despesas variáveis (cabeleireiro, combustíveis, roupa, etc.). Esta listagem das suas despesas variáveis é importante porque lhe vai permitir identificar onde gasta mais dinheiro de forma que poderá ser considerada supérflua e agir em conformidade alterando os seus hábitos de consumo.

Nessa parte não se esqueça de incluir as compras únicas (um vestido ou fato para uma ocasião especial, por exemplo).

2.    Cálculos Totais

Chegamos à parte dos cálculos totais que lhe vão permitir aferir quanto dinheiro lhe vai sobrar no final do mês. Assim, subtraia o valor total de despesas ao valor total das receitas e verifique com qual o valor que lhe sobra.

Tendo em conta os nossos exemplos, temos que:

Total de receitas: 890,00€

Total de despesas: 457,00€

890 – 457= 433,00€

3.    Ajuste do Orçamento

Caso, em função dos valores apurados, verificar que não conseguirá poupar no final do mês, proceda ao ajuste do seu orçamento definindo, por exemplo, limites mais baixos para as despesas variáveis.

Poupar com recurso a um crédito consolidado

Para além das dicas que lhe demos para criar um orçamento mensal, não podemos deixar passar em claro as pessoas que se encontram perto de uma situação de incumprimento pelo peso que os créditos que contraiu têm nas suas despesas mensais.

Nestes casos, uma das melhores formas de ajudar o seu orçamento e ver-se livre de uma grande parte deste peso é optar por contratualizar um crédito consolidado. De um modo geral, esta ferramenta financeira irá permitir-lhe juntar vários créditos em apenas um, com uma taxa de juro mais baixa que a média de todos os créditos que possui ficando apenas com uma única prestação, perante uma única instituição de crédito.

Por exemplo, se um agregado familiar cuja taxa de esforço (Encargos financeiros / Rendimento Líquido Total do Agregado x 100) ultrapasse os 50% optar por um crédito consolidado UNIBANCO pode reduzir substancialmente o valor das suas prestações mensais.

Vejamos o caso da Carolina e do João. Este casal somava 41 mil euros em dívida decorrente dos créditos contraídos e prestações mensais no valor total de 1200 euros.

Como o rendimento líquido total deste casal é de 1900 euros, a sua taxa de esforço encontrava-se nos 63,1%, percentagem em muito superior aos 50% recomendados como limite “saudável” pelo Banco de Portugal.

Depois de ponderadas as soluções que tinham ao seu dispor, o casal opta por um fazer uso de um crédito consolidado. Após uma rápida pesquisa na Internet, a Carolina e o João entram na página de crédito consolidado do UNIBANCO e encontram, imediatamente, um simulador de crédito consolidado que lhe vai permitir calcular o valor de mensalidade para valores de empréstimo que vão dos 5 mil aos 75 mil euros e prazos de reembolso entre 24 e 84 meses.

Neste caso, o nosso casal opta por calcular um crédito consolidado de 41 mil euros (o valor total a amortizar) a pagar em 84 meses. Para essas premissas, o simulador dá-lhes uma prestação mensal de 710,41 euros, valor que implica que a taxa de esforço da família irá passar a ser de:

Taxa de Esforço com o crédito consolidado Unibanco

710,41/1900 x 100 = 37,4%

Como se percebe, com o crédito consolidado UNIBANCO, a Carolina e o João vão poder reduzir, de forma imediata, a sua taxa de esforço em quase 50%, o que lhes vai garantir a poupança de algumas dezenas de euros no final do mês.

A simulação apresentada diz respeito a um financiamento de €41.000 a pagar em 84 mensalidades de €710,41. TAN 10,950% e TAEG 12,6%. MTIC €60.396,27.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo