Publicidade
Covid-19Saúde
Em Destaque

Sequenciação de genomas relaciona casos de Ovar com Felgueiras e Viseu

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) analisou, até ao momento, 436 sequências do genoma do novo coronavírus provenientes de 77 concelhos portugueses.

A análise do perfil genético dos genomas recolhidos em Portugal permite já avançar com a hipótese de que a maioria dos casos de Covid-19 em Ovar tenha resultado de uma única introdução do vírus, no início de março, que desencadeou uma grande cadeia de transmissão neste concelho, que soma 704 casos confirmados até esta quarta-feira.

O relatório de situação divulgado esta terça-feira no site do INSA que monitoriza a sequenciação do genoma do novo coronavírus em Portugal refere que, “apesar da grande variabilidade de perfis mutacionais, observam-se já clusters filogenéticos congruentes com dados epidemiológicos (ex, geografia, contactos confirmados, etc) e outros sugestivos de potencial link epidemiológico”.

publicidade

O estudo destaca “um grande cluster constituído pela maioria dos genomas avaliados do concelho de Ovar (Figura 4). Este resultado lança a hipótese de que a maioria dos casos de Covis-19 nesta região tenha resultado de uma única introdução do vírus (início de Março), desencadeando uma grande cadeia de transmissão neste concelho”.

Resultados preliminares apontam que este foco poderá estar relacionado “com o foco inicial no concelho de Felgueiras e ter progredido para outros locais, em particular o distrito de Viseu, onde se detectaram já alguns genomas do mesmo sub-clade genético”.

Identificar cadeias de transmissão, avaliar a eficiência das medidas de contenção, determinar perfis mutacionais da Covid-19 e aferir a resistência de determinadas linhagens do vírus a certos fármacos são alguns dos objectivos deste estudo cofinanciado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo